Cuiabá, domingo, 16/06/2024
20:10:27
informe o texto

Artigos / Colunas / Coronel Assis

19/08/2023 às 08:29

A certeza da impunidade enfraquece o Brasil

Nessa semana viralizaram alguns vídeos nas redes sociais de agiotas agredindo e filmando cobranças a possíveis devedores em Mato Grosso. As cobranças feitas em plena luz do dia, e com o uso de violência demonstra que existe uma certeza de impunidade por parte dos agressores.

A agiotagem é proibida no Brasil, mas movimenta um mercado clandestino de empréstimos, que caso não seja quitado mediante as condições impostas pelos agiotas, a cobrança é feita sob ameaça, agressões e até mesmo morte.

Em um dos vídeos que circulou é possível ver uma mulher em desespero, que tenta defender a mãe que estava sendo cobrada. Também circula um vídeo de vários homens que cobram um senhor que fica desesperado para arranjar o dinheiro e faz ligações em busca de soluções enquanto é intimidado pelos cobradores. Em um terceiro vídeo, um homem é agredido com chutes em uma região de zona rural, e por fim, o vídeo que mais popularizou mostra um homem apanhando de chicote em plena luz do dia enquanto os agressores cobram a dívida.

Tudo isso aponta para o elevado nível de violência que a bandidagem impõe à sociedade. É um verdadeiro terrorismo que demonstra meios considerados criminosos, mas que em nenhum momento causa intimidação aos agressores.

Essas cenas se popularizaram na mesma semana em que o presidente Lula (PT) declarou que “quem anda armado é covarde, e que não quer fazer o bem”. Isso evidencia que Lula quer um país desprotegido, onde as pessoas de bem devem ficar desprotegidas, enquanto a bandidagem fortemente armada pode fazer o que bem entender, inclusive amedrontar e aterrorizar famílias inteiras.

Não é de se assustar que episódios de violência tenham aumentado desde que Lula voltou ao poder. Isso porque um dos seus primeiros atos foi começar a acabar com a política do armamento civil, colocando em vulnerabilidade mais de um milhão de empregos, e o recolhimento de pelo menos R$ 3,5 bilhões em impostos gerados pelo setor de armas e clubes de tiros.

Com isso, cada vez mais os cidadãos que vivem de acordo com a lei e sob o peso do Estado estão se tornando refém dos bandidos, já que perdeu o direito de proteger, proteger sua família e ao seu patrimônio.

É assim que as democracias morrem. O governo começa a tirar a liberdade dos cidadãos, a querer controlar suas opiniões, a limitar seus direitos e a exigir um único comportamento, atacando os valores que são pilares da sociedade, como a fé, a família e o patriotismo.

Por isso, tenho atuado na Câmara Federal para garantir que esses retrocessos não avancem. Estamos lutando contra o autoritarismo da canetada, que tenta a qualquer custo transformar nosso país em um regime sem liberdades, e que se torna campo fértil para a bandidagem crescer e se fortalecer. Isso não pode acontecer, e o que depender da minha atuação como deputado federal, jamais acontecerá.

Coronel Assis

Coronel Assis
Coronel Assis é ex-Comandante-Geral da Polícia Militar de Mato Grosso e pré-candidato a deputado federal. @coronelassis
ver artigos
 
Sitevip Internet