Cuiabá, sábado, 25/05/2024
11:08:40
informe o texto

Artigos / Colunas / Gustavo de Oliveira

19/03/2024 às 12:58

Cidades para os cidadãos

Neste ano de eleições municipais no Brasil, precisamos discutir seriamente os problemas das cidades brasileiras. Os municípios enfrentam uma série de desafios que impactam diretamente a qualidade de vida dos cidadãos. Muitas vezes os problemas são mascarados durante o período eleitoral por propostas mirabolantes que enxergam os sintomas mais óbvios, mas não atacam com inteligência suas causas reais.
 
Entre os desafios, destacam-se a precariedade do transporte público, o saneamento básico deficiente e suas consequências na saúde pública. Para enfrentar tais problemas, é necessário que os serviços públicos evoluam significativamente, visando atender melhor às necessidades da população.
 
O transporte público de qualidade é uma peça fundamental para o desenvolvimento urbano sustentável. No entanto, muitas cidades brasileiras enfrentam problemas crônicos nesse aspecto. Ônibus superlotados, atrasos frequentes, infraestrutura precária e tarifas elevadas são apenas algumas das questões enfrentadas diariamente pelos usuários. Essa situação gera impactos negativos na qualidade de vida dos cidadãos, afetando a mobilidade, produtividade e bem-estar.



Além disso, o saneamento básico inadequado é um problema persistente em muitos municípios brasileiros. A falta de acesso à água potável e sistemas de esgoto eficientes contribui para a propagação de doenças transmitidas pela água, como diarreia, hepatite A e leptospirose. A ausência de saneamento também agrava problemas ambientais, como a contaminação de rios e lençóis freáticos, impactando negativamente os ecossistemas locais e a qualidade de vida das comunidades. Some-se a isso uma imensa desorganização da limpeza urbana, tanto na coleta de lixo quanto na limpeza de espaços públicos, e percebemos que vivemos nas cidades em condições sanitárias precárias.
 
Os efeitos desses problemas de infraestrutura se refletem diretamente na saúde da população. Doenças relacionadas à falta de saneamento e condições precárias de higiene são responsáveis por um grande número de internações hospitalares e óbitos no país. Epidemias de dengue e outras doenças causadas por vetores que habitam essa verdadeira lixeira a céu aberto atacam o morador das cidades diariamente, roubando-lhe a tranquilidade e o bem-estar.
 
No campo do saneamento básico é necessário ampliar o acesso à água potável e sistemas de esgoto adequados, especialmente em áreas urbanas periféricas e comunidades rurais. A coleta de lixo e a reciclagem de resíduos precisam ser mais eficientes. Nas cidades é necessário investimentos em aterros sanitários sustentáveis. Isso pode ser alcançado por meio de parcerias público-privadas, investimentos em tecnologias de tratamento de água e esgoto, e programas de conscientização e educação ambiental.
 

Gustavo de Oliveira

Gustavo de Oliveira
é empresário e Presidente do Movimento Mato Grosso Competitivo
ver artigos
 
Sitevip Internet