Cuiabá, quinta-feira, 28/05/2020
17:42:39
informe o texto

Artigos / Colunas / Werley Peres

18/05/2020 às 10:19

(SUS )tentação

Podemos ser categóricos em dizer que o SUS representa a garantia da vida e da democracia do povo brasileiro.

As bases que formaram o  SUS (sistema Único de Saúde) se confundem com o processo de redemocratização do País. Surgiu da necessidade de uma população composta  maciçamente de miseráveis e que era considerada indigente. Sim,  quem não tinha a carteirinha do INAMPS , era tido como indigente e não poderia ser atendido na rede de saúde da época. Quem os atendiam eram as Santas Casas , lógico onde existiam esses hospitais. 

Até chegar à Constituição de  88 e promulgar o artigo 196 onde se afirma que " a saúde é um direito de todos e um dever do Estado" houve muito luta e uma compreensão clara de que era preciso diminuir as desigualdades sociais universalizando o acesso a saúde.

Ao longo dessas três décadas da sua criação , foram perceptíveis os ataques as suas bases. Mas por ser uma política de Estado e não de Governo , o Sistema conseguiu se manter de pé até hoje , o que o tornou o principal guardião das vidas dos brasileiros.  Temos o melhor programa de imunização do Mundo e a Estratégia de saúde da família está presente em todos os municípios do Brasil. Isso demonstra que onde o cidadão brasileiro põe o pé , os profissionais do SUS colocam a cara. É lógico que não temos um SUS perfeito pois faltam recursos para mante-lo. A saúde é cara e exige investimentos, principalmente em pessoas e equipamentos. Uma boa gestão otimiza muito os serviços de saúde , mas há necessidade de mais recursos pra que o SUS sobreviva bem. A título de comparação, os serviços privados que dão cobertura a apenas 20% dos brasileiros investem 2,5 vezes mais nos seus serviços que o SUS, este responsável por cuidar diretamente de 80% da população.

Apesar das limitações e baixos investimentos, é esse Sistema que faz o Brasil conseguir lutar contra essa pandemia e através dos seus serviços salva milhares de vidas diariamente nos quarto cantos do País. Temos a obrigação de olhar com mais cuidado e respeito a um Sistema que deixou de ser o esqueleto da saúde brasileira , mas tem hoje o estatus da alma e essência do seu povo. Nunca tivemos tanto orgulho dele e também pesar por ainda sofrer tantos ataques.

A autonomia dada a cada municipio pelo SUS é ao mesmo tempo sua força e fraqueza. Força porque é através do estudo do perfil epidemiológico de cada cidade e região que os gestores estabelecem ações em saúde para suas populações. Já a  fraqueza se dá em razão do risco de maus gestores em usurpar e sangrar o SUS com a corrupção. Nesse quesito salta aos olhos o quanto em momentos de  fragilidade da população, os corruptos tentam se aproveitar do SUS. Vejam os exemplos dos superfaturamentos em compras de EPIs e ventiladores mecânicos.

A velha máxima ,criar dificuldades para vender facilidades, sobrepõe ao caráter humanisco que alicerça o próprio sistema. Essa fragilidade  exemplifica claramente que a corrupção é o único câncer que tenta desfigurar o Sistema único de saúde.

Logo , se por um lado temos um SUS que sustenta e protege milhões de vidas em todo País , por outro é a tentação para os medíocres e desonestos gestores que utilizam de inúmeros  artifícios para desviarem verbas e enriquecerem ilicitamente.

Assim, a defesa do  SUS começa com a dedicação dos seus  profissionais em cada nível de atenção a saúde ,passa pela  vigilância dos órgãos de controle (MP, TCE , CGU, MPF E TCU) e termina com Judiciário garantindo os direitos definidos na constituição de 1988. Podemos ser categóricos em dizer que  o SUS representa a garantia da  vida e da democracia do povo brasileiro.

Werley Peres

Werley Peres
* médico de família e pós graduado em psiquiatria
ver artigos
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet