Cuiabá, quarta-feira, 26/06/2019
08:01:45
informe o texto

Artigos / Opinião / Dra. Juliana Lobato

25/03/2019 às 10:17

Depressão e sexualidade: entenda a relação

Você sabia que a depressão pode afetar gravemente a vida sexual de um indivíduo? Como especialista em sexualidade e atuante na área de Medicina de Família e Comunidade, é visível o efeito que a enfermidade pode causar em diversas questões tanto do corpo, quanto da mente. Para confirmar a relação entre eles, alguns dados fazem-se indispensáveis.

Uma pesquisa publicada pelo Journal of Sexual Medicine, na qual que foram entrevistados 200 homens, dentro da faixa etária de 20 a 77 anos e com níveis limítrofes de testosterona total entre 200 e 350 ng/dL, foi capaz de apontar dados que corroboram para a conexão entre depressão e sexualidade.

As informações colhidas pelo levantamento incluíam aspectos demográficos, histórico médico, uso de medicações, dentre outras, afim de apurar qual era a relação da quantidade de testosterona apresentada por esses homens em seus organismos e inconsistências na saúde mental dos mesmos.

Os resultados apontaram que a depressão e/ou sintomas depressivos estavam presentes em 56% dos participantes, totalizando mais da metade do grupo. Além disso, a pesquisa também revelou que aqueles faziam uso de medicamentos antidepressivos apresentam altas taxas de obesidade e baixo registro de atividades físicas. Eles representavam ¼ do grupo pesquisado. 

Os sintomas mais comumente relatados eram: disfunção erétil, diminuição da libido, menos ereções matinais, baixa de energia e distúrbios do sono.

A conclusão obtida pelos pesquisadores foi que depressão e sexualidade estão intimamente conectadas, pelo menos no mundo masculino. Qual seria, então, a conclusão se essa atividade fosse realizada estudando um grupo de mulheres?

Segundo um estudo do instituto Nielsen, a ligação entre sexualidade e depressão também é bastante clara entre as mulheres. 

A pesquisadora Carmita Abdo, coordenadora do Projeto Sexualidade (ProSex) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, afirma que a depressão afeta mais gravemente à mulher do que o homem: “Na mulher, ela [a depressão] é mais longa e os quadros são mais crônicos e recorrentes. É possível que entre os homens a doença seja subdiagnosticada”.

Foi observado que, das mulheres que procuravam o ProSex com queixas relacionadas a depressão, metade também reclama de baixo desejo sexual. 40% dentre elas já haviam realizado alguma espécie de tratamento contra a enfermidade. 

A expressividade do dado exposto acima mostra-se na próxima informação revelada pela doutora Abdo: o número de mulheres que fazem uso de antidepressivos e relatam algum tipo de disfunção sexual pode chegar à marca dos 70%. 

Resumidamente, além da depressão afetar negativamente o apetite e atividade sexuais femininos, o tratamento da doença agrava ainda mais os casos e a gravidade das disfunções sexuais. 

É possível afirmar, com convicção, que a relação entre depressão e sexualidade – mais especificamente problemas relacionados ao sexo – afetam negativamente ambos os sexos. Apesar de todo o estigma ao redor do diálogo sobre sexo e sexualidade, ambos são aspectos completamente naturais da vivência humana. 
Assim como qualquer prática que exige alguma ação da parte física do organismo humano – alimentação, sono, locomoção, trabalho, dentre outros –, qualquer espécie de mal-estar psicológico infere criticamente no pleno funcionamento. 

Por isso mesmo é que sim, a depressão diretamente na prática sexual. A saúde mental e física andam sempre juntas e não podem, em hipótese alguma, serem separadas. A boa notícia é que, por se relacionarem, cuidar de uma é cuidar também da outra, preservando o bem estar do organismo, como um todo. 

Identificou-se com algum caso ou descrição mencionado? Procure ajuda! Eu, doutora Juliana Lobato, e a Clínica Longevittá temos todas as opções em terapia e tratamento medicamentoso que você necessita. Faça-nos uma visita e realize o seu diagnóstico.
 
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Enquete

Qual seu posicionamento em relação a Reforma da Previdência?

Você deve selecionar uma opção
+enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet