Cuiabá, segunda-feira, 14/06/2021
02:52:44
informe o texto

Notícias / Música

11/05/2021 às 17:28

Vídeo | Deize Águena grava música em tom de desabafo durante pandemia

Trabalho homenageia um dos compositores da canção, que foi vítima da covid-19

Túlio Paniago

Vídeo | Deize Águena grava música em tom de desabafo durante pandemia

Foto: Foto: Rodolfo Luiz

Deize Águena, uma das principais vozes das rodas de samba e choro de Cuiabá, lançou, nesta terça-feira (11), o clipe de uma canção que teve origem em um desabafo da cantora. Intitulada “Pra ser feliz”, a música já está disponível no Instagram @deizeaguena e em seu canal no YouTube.

A letra foi composta a partir de uma publicação que ela fez nas redes sociais, na qual botava pra fora o que estava sentido durante o largo período de isolamento. Portanto, ainda que a mensagem seja de esperança, trata-se de uma obra densa, daquelas que se canta com as vísceras.

“No final de julho de 2020 fiz um post em minhas redes e, tão logo publicado, Beron me enviou uma mensagem e um print: ‘Veio uma inspiração, pega caneta e papel, achei seu texto maravilhoso e acho que dá uma música. Fiz uma contribuição, espero que goste’. Para arrematar, Danilo fez ajustes na letra e melodia”, revela Deize.

A canção, conforme o relato, foi composta em parceria com os músicos Beron Carvalho e Danilo Ribeiro (in memoriam), mas foi Rusivel de Jesus quem gravou o violão. “Infelizmente, Danilo não estará aqui para ver: foi vítima da covid. Vai ser uma homenagem para ele e todos os outros que foram levados por essa triste doença”, lamenta.

E a música recém-lançada versa exatamente sobre essa condição em que todos fomos jogados sem saber até quando. “Congelou no tempo / o momento de silêncio e de reflexão / momentos de ficar comigo mesma / cuidar dos meus pensamentos e do coração / assim vou travando essa luta diária / brigando com dias difíceis, sombrios / na esperança de ver o sol brilhar / e nos fazer sorrir”.

“Ainda me recupero da perda do meu amigo e de outras pessoas muito próximas e queridas. Confesso que foi um pouco difícil, mas essa música é também um desabafo. E hoje tornou-se uma homenagem. Tinha de dar continuidade”, reflete.

Não por acaso essa ideia de continuidade é transmitida na conclusão da música, que, aliás, evoca versos de Gonzaguinha, na canção Sangrando (1980): “Quando eu soltar minha voz / por favor, entenda / que palavra por palavra eis aqui uma pessoa se entregando”, e também Nelson Cavaquinho e Élcio Soares, em Juízo Final (1973), que versam que “o sol há de brilhar mais uma vez”.

Deize, por sua vez, canta o seguinte: “minha voz a cantar outra vez / deus me deu esse dom de levar a vocês / poesia na simplicidade / em forma de canção / vou soltar a voz, desatar os nós / me entregar aos acordes de um violão / fazer mais por mim / para poder enfim ser feliz”.

PREMIAÇÃO E EQUIPE

Com esta música ela venceu o 1º Prêmio Nega Mato de Música, uma das ações do Projeto Negócio da Arte (Nega), idealizado pela produtora cultural Julianne Moura.

Como premiação, além de gravar um single e vídeo com o produtor Rogê Além, a cantora ganhou mil reais, uma sessão de fotos com o artista Rodolfo Luiz e materiais de divulgação do novo trabalho.

“A presença harmônica de Julianne foi um bálsamo no meio disso tudo, assim como a alegria revigorante da Zizele Ferreira, que prestou consultoria no figurino, marcado por referências afro-diaspóricas, nas vestimentas e acessórios, além da maquiagem da Raquel Netto”, comenta Deize.

Ela também conta que a parceria com o produtor foi muito proveitosa. “Estive muito à vontade para realizar um mergulho profundo por minha ancestralidade. E a acolhida e direção de Rogê Além fez com que mais dobrasse a minha admiração por esse profissional. Foi um encontro de almas”, revela.

O produtor diz que a impressão foi recíproca: “É uma mulher que traz na sua bagagem uma história muito bonita na música de Mato Grosso. Participar desse processo de criação foi uma verdadeira troca. Foi valoroso estar nesse lugar de dar suporte para essa grande intérprete do samba e choro”.

PROJETO NEGÓCIO DA ARTE

A idealizadora do projeto, Julianne Moura, criou um “edital dentro do edital” com o propósito de impulsionar a carreira de um músico ou musicista Mas, além de Deize, centenas de pessoas foram alcançadas pelas ações do Nega.

Ela realizou 12 entrevistas com artistas, gestores culturais e representantes de entidades da economia criativa para o canal do Nega no YouTube. Fez ainda 11 vídeos informativos nos quais auxiliava artistas e pessoas da área na elaboração de projetos culturais.

“Desafiei-me a agendar entrevistas, produzir vídeos, editá-los. Participei de todos os níveis e o saldo foram muitos convites para palestrar. Não vejo a hora de uma nova oportunidade para ampliar ainda mais as ações do Nega”, comenta a produtora que trabalha na área de gestão.

O projeto foi selecionado em edital da Lei Aldir Blanc realizado pela Prefeitura Municipal de Cuiabá via Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer e Conselho Municipal de Política Cultural de Cuiabá e em parceria com o Governo Federal, Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura.

 
Com informações da Assessoria - Lidiane Barros

Vídeo Relacionado

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet