Cuiabá, quarta-feira, 23/06/2021
02:02:25
informe o texto

Notícias / Artes

10/06/2021 às 11:48

Prêmio MT Artes homenageia classe artística e destaca trabalho de fortalecimento

Além de quinze premiados em cinco categorias, foram homenageados o secretário Beto Dois a Um, Clóvis Matos e o grupo de voluntários "É o Bicho"

Leiagora

Prêmio MT Artes homenageia classe artística e destaca trabalho de fortalecimento

Foto: Secel/MT

Celebrar a cultura de Mato Grosso. Esta frase resume bem o primeiro Prêmio MT Artes, realizado em noite de gala, nesta quarta-feira (09), no Cine Teatro Cuiabá. O evento destacou importantes obras e artistas da cultura mato-grossense que contribuíram para manter acesa a chama da arte em tempos de pandemia. 

O Prêmio MT Artes existe para homenagear e celebrar o setor cultural de Mato Grosso e também ampliar a visibilidade das produções artísticas produzidas durante o período de pandemia. A premiação foi dividida em cinco linguagens artísticas, cada uma com dez indicados, dos quais foram eleitos três vencedores de cada segmento: artes visuais, audiovisual, dança, literatura e teatro.

“Esse Prêmio foi criado para valorizar a cultura de Mato Grosso. É importante dizer que não se está premiando os melhores, e sim indicando alguns trabalhos para fortalecer a classe artística, para que as pessoas percebam a importância da arte e da cultura neste momento de pandemia. O que tem amenizado nossas dores e acalmado nossos corações neste momento tão difícil é a cultura”, explica Flávio Ferreira, diretor do Cine Teatro Cuiabá e da MT Escola de Teatro.

“O Prêmio MT Artes é de suma importância porque valoriza a cultura, fundamental para que passássemos por este momento difícil. Nosso segmento foi impactado diretamente com a pandemia e a arte ajuda muito a controlar nosso emocional. Parabéns a todos por essa realização e me coloco a disposição sempre, para que possamos juntos levar a cultura para os quatro cantos de Mato Grosso”, disse o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Beto dois a Um.

Na categoria artes visuais, venceram Kaji Wauja e Makalu, por suas criações em cerâmica, representando o Parque Indígena do Xingu; Mari Gemma, de Cuiabá, premiada com a exposição digital Porto Kyvaverá; e Sol Ferreira, de Várzea Grande, premiada com a obra Manga Coração de Boi.

Na categoria audiovisual venceram “As mãos Beneditas de Justina”, de Isabela Ferreira; “Missivas”, de Caroline Araújo e Mauricio Pinto; e “Vitamina D”, de Severino Neto e Diego Medvedocky.

Na categoria dança, os vencedores foram a Escola Municipal de Dança, de Primavera do Leste, por “conSente”; Estúdio CLAZ, de Cuiabá, por “Desassossego”; e Grupo de Dança de Rua, de Cáceres, pela obra “Intense life”. 

Na categoria literatura, os premiados foram “Eles não podem tirar isso de mim”, de Eduardo Mahon; “A Menina Capu e as tintas mágicas”, de Capucine Picicaroli e Marta Cocco; e Aclyse Mattos.

Na categoria teatro, os vencedores foram “Depois do fim do mundo vem sempre um outro dia”, dos estudantes do Núcleo 2 da MT Escola de Teatro; “Fiu Fiu – O encontro entre Pássaros”, Grupo Tibanaré; e “O que restou do bairro silenciou a mulher na quarentena”, de Ariana Carla.

Johnny Everson e banda, o grupo de cururueiros Siriri Elétrico, a cantora trans Seven Monica, o dançarino Nicolas e a dupla sertaneja  Dois a Um realizaram apresentações entre as premiações. O Prêmio MT Artes é uma parceria entre o Cia Cena Onze, Adaap e Unemat.

Homenagens

O secretário Beto Dois a Um foi um dos homenageados da noite, ao lado de Clovis Matos pelo projeto de resistência e inclusão literária que já distribuiu mais de 140 mil livros em 15 anos e “É o Bicho”, grupo de voluntários defensores da causa animal que esteve à frente de importantes ações de combate aos incêndios do Pantanal em 2020, acolhendo e tratando animais que sobreviveram à tragédia ambiental.

A escolha de Beto se deu em função da “atuação fundamental na Lei Aldir Blanc em Mato Grosso, tornando possível a sobrevivência da cultura no período de pandemia”. 

“Beto é um homem comprometido com a cultura e carrega a arte nas veias, já que é músico, compositor e gestor cultural, com forte sensibilidade artística”, disse o ator Romeu Benedicto, ao convidá-lo para subir ao palco do Cine Teatro Cuiabá.

“A cultura transforma e resiste a tudo. Resiste ao tempo, à política, e está resistindo a esta pandemia tão cruel. Esse prêmio não é meu, é de toda a Secel. Preciso dizer isso para honrar o trabalho que tem sido realizado. Eu me sinto um privilegiado por 'estar secretário' em uma época tão difícil, rodeado de gente aguerrida, e poder colaborar com toda força que for possível dedicar. Sinto-me o cara mais feliz do mundo por fazer parte desse time. Repito, esse não é só meu, é de todos nós da Secel”, disse Beto.

Antes de chamar seu parceiro Ivan ao palco para encerrar a noite de premiações cantando canções da dupla Dois a Um, o secretário Beto adiantou: "Quero deixar uma mensagem de otimismo, nem só de Lei Aldir Blanc vive a Secel. Teremos muitos editais este ano, recursos importantes para que possamos manter a engrenagem se movimentando. O governador Mauro Mendes entende a urgência da cultura e está engajado nessa causa. Aguardem que estamos preparando muitas novidades”.

 
Secel-MT

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet