Cuiabá, terça-feira, 11/08/2020
02:25:33
informe o texto

Notícias / Cinema

21/07/2020 às 10:11

Dupla disponibiliza curtas sobre arte mato-grossense e parto humanizado

Os documentários dos realizadores Aliana Camargo e Cristiano Costa estarão nas redes do Cine Teatro e Cineclube Coxiponés até o final de agosto

Maria Clara Cabral

Cinco documentários da dupla de realizadores Aliana Camargo e Cristiano Costa são atração dessa semana na Temporada de Filmes Online, ação do Cine Teatro Cuiabá que substitui sua programação presencial, cancelada em atenção às medidas de contenção e prevenção à covid-19.

Serão compartilhados a partir desta terça-feira (21), às 19h30, nas redes sociais do Cine Teatro Cuiabá e do Cineclube Coxiponés da UFMT: 'Cuiabá sob o olhar de Lázaro Papazian (2005)', 'Catadoras de Sementes (2007)', 'Crochê de Barro (2013)', 'Meu parto, Meu Renascimento (2014)' e 'Saber Viver (2019)'. Todos são curtas-metragens com classificação livre e estarão disponíveis online até o final de agosto.

As obras compartilhadas são frutos de uma parceria de vida, além de parcerias de profissão com artistas e realizadores apaixonados por contar histórias, contribuindo, assim, com a cultura mato-grossense. Refletem ainda uma trajetória trilhada na união entre educação e comunicação – a educomunicação.

 
A imagem em movimento é uma grande paixão contagiante e que promove interação, integração direta com a sociedade, com o que somos, pensamos e sonhamos”, afirma a dupla, em uníssono.

Enquanto durarem as medidas de distanciamento social, a Temporada de Filmes Online difunde conteúdos audiovisuais independentes, com ênfase na produção realizada em Mato Grosso. O compartilhamento de novos filmes ocorre no mesmo dia da semana e horário em que tradicionalmente acontecem as sessões de cinema do Cine Teatro Cuiabá.


Aliana Camargo & Cristiano Costa

Graduados em Comunicação Social pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em 2004, Aliana Camargo e Cristiano Costa iniciaram suas carreiras com trabalhos experimentais durante a faculdade, quando também engataram um namoro.

Logo no início da graduação, Aliana teve uma experiência rica no campo da educomunicação, como agente do “Cinema BR em Movimento”, projeto patrocinado pela Petrobrás que propiciou a difusão do cinema brasileiro em espaços alternativos, como salas de aulas e centros comunitários.

Em distintas épocas, o casal também atuou no Cineclube Coxiponés, entre 2000 e 2002, descobrindo trabalhos que exploravam diversas linguagens, principalmente o formato curta-metragem. Foi nesta época que, por meio do contato com o acervo Lázaro Papazian, realizaram, junto a colegas de faculdade, 'Cuiabá sob o olhar de Lázaro Papazian', curta premiado no 12º Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá (2005).

Para a conclusão de curso, eles pesquisaram sobre a comunicação aliada à educação como instrumento para pensar as relações sociais e a utilização das tecnologias no ambiente escolar. Dessa pesquisa surgiu o projeto Cinemagora, que circulou, entre 2005 e 2006, em diversas escolas da grande Cuiabá, promovendo o diálogo com alunos interessados no audiovisual com ênfase no documentário.

Mais à frente, a dupla foi convidada pelo INCA (Instituto Cultural América), promotora do Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá, a pensar um projeto na mesma linha da educomunicação. Nasceu aí o Adecines (Agentes de Desenvolvimento do Cinema nas Escolas), que durante dois anos, promovendo a capacitaçãode adolescentes de diversas escolas públicas de Cuiabá e Várzea Grande.

Os Adecines promoviam sessões nas escolas, com debates sobre diversos temas, utilizando filmes do acervo do Festival de Cinema de Cuiabá. Alguns agentes que se destacaram no projeto deram continuidade aos estudos e à prática com o audiovisual e atualmente são profissionais do campo audiovisual e da educomunicação.

Além de parceiros afetivos, Aliana e Cristiano atuaram no mercado audiovisual, participando de projetos com produtoras de vídeo e com outros realizadores independentes. O namoro iniciado na UFMT virou casamento e dessa união também surgiram Maria Júlia e Emannuel.

Atualmente, Aliana Camargo realiza pesquisa em nível de doutoramento na UFMT relacionando os temas mídia, educação e tecnologia. Cristiano Costa atua como técnico em audiovisual do Campus Araguaia da UFMT, em Barra do Garças, onde também colabora com o Cineclube Roncador.


Os filmes


Cuiabá sob o olhar de Lázaro Papazian

(Aliana Camargo & Cristiano Costa, 2005, 13')

Sinopse: O documentário trata sobre o espaço urbano de Cuiabá por meio dos registros históricos de Lázaro Papazian, fotógrafo e cinegrafista de origem armênia que, em 1926, mudou-se para cidade e, a partir de então, passou a registrar episódios da vida social e política da capital matogrossense. Papazian foi um dos poucos a registrar vários acontecimentos da cuiabania, como a filmagem da demolição, em 1968, da Igreja Matriz Senhor Bom Jesus de Cuiabá, evento que marca a busca por modernização da cidade, seguindo os passos da recém criada capital do país. Premiado no 12º Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá (2005).


Catadoras de Sementes
(Aliana Camargo, 2007, 4')

Sinopse: O curta constrói uma relação poética entre as obras do artista visual Ronei Ferraz com o cotidiano de mulheres trabalhadoras do aterro sanitário de Várzea Grande-MT. Participação especial da poetisa Bia Corrêa. Premiado como Melhor Curta Experimental na 7ª Mostra de Audiovisual da UFMT (MAUAL 2008).


Crochê de Barro
(Cristiano Costa, 2013, 4')

Sinopse: O curta propõe um passeio pelos relevos e texturas que combinam o barro com o crochê nas obras do artista visual Ronei Ferraz. Premiado como melhor Melhor Curta Experimental na 12ª Mostra de Audiovisual da UFMT (MAUAL 2013).


Meu parto, Meu Renascimento
(Aliana Camargo, 2014, 15')

Sinopse: Cinco mulheres refletem sobre o renascimento através da experiência do parto humanizado. "Para mudar o mundo primeiro é preciso mudar a forma de nascer" (Michel Odent).


Saber Viver
(Aliana Camargo & Cristiano Costa, 2019, 3')

Sinopse: A poesia de Cora Coralina acompanha um passeio por imagens da região do Araguaia (Barra do Garças e Serra do Roncador). Por esses espaços, ecoa a voz da artista visual e produtora cultural Magna Domingos (1972-2018).

Cine Comentário Sonoro

Para complementar a difusão online dos curtas de Aliana Camargo e Cristiano Costa, um novo episódio da série Cine Comentário Sonoro será publicado às 17h desta quinta-feira (23). Nele, Aliana Camargo relembra os bastidores de produção de ‘Catadoras de Sementes’, curta premiado na MAUAL 2008. 

No Cine Comentário Sonoro, realizadores relembram histórias associadas à produção de seus filmes, através de uma faixa de comentário sonoro integrada aos curtas. Todos os episódios estão disponíveis no canal do YouTube do Cineclube Coxiponés
Com assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Preencha seu email abaixo para receber atualizações diárias de nossos artigos
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet