Cuiabá, sábado, 25/05/2024
03:15:13
informe o texto

Notícias / Música

14/05/2024 às 15:01

VAMBORA

Com atração nacional, festival realizado na Capital celebra hip hop feito por mulheres em evento gratuito

VMB Hip Hop reúne a rapper paulistana Drik Barbosa e nomes de peso da cena mato-grossense

Entretê

Com atração nacional, festival realizado na Capital celebra hip hop feito por mulheres em evento gratuito

Foto: Reprodução

O Movimento Vambora promove, no dia 25 de maio, sábado, uma celebração do hip-hop feito por mulheres. É a 3ª edição do VMB Hip Hop, evento gratuito que, desta vez, chega ao Espaço Cultural Casa Silva Freire, em Cuiabá. Na ocasião, a capital recebe uma expoente da nova geração do rap brasileiro, a paulistana Drik Barbosa. Ela divide o palco com nomes de peso da cena mato-grossense, a partir das 17h.

Diferentes linguagens do hip-hop compõem a programação: roda de breaking dance, performances de ballroom, campeonato de basquete, batalha de graffiti e intervenções do coletivo de grafiteiras de Mato Grosso. As competições contam com premiações em dinheiro. Além disso, o local terá disponível praça de alimentação e brinquedos, tornando o evento acessível a toda a família.

Na 3ª edição, o VMB Hip Hop recebe a rapper Drik Barbosa, cujo repertório parte do rap, mas transborda para o pop, passando por ritmos como r&b, funk e pagode. A artista é uma das apostas do Laboratório Fantasma, empresa de Emicida e Fióti e tem parcerias com importantes nomes da música brasileira, como Gloria Groove, Karol Conka, Emicida e Luedji Luna. Em seus shows, ela apresenta as faixas do seu mais recente projeto 'NÓS' e outras canções que marcaram sua trajetória.

No time de artistas anfitriãs, Luciane Carvalho, Pacha Ana, Karla Vecchia, Rapper Azul e Shirley Black presenteiam o público com shows que representam a riqueza musical e poética do hip hop feito em Mato Grosso. DJ Pri Pires, por sua vez, embala o público com seu setlist dançante.

"O VMB é resultado de uma demanda crescente do movimento Hip Hop em Mato Grosso que, infelizmente, ainda encontra pouco espaço nos palcos de eventos e festivais. E dessa vez, construímos uma edição inteiramente dedicada a artistas mulheres, que enfrentam ainda mais desafios para viabilizar suas produções e expressões. Pra elas, a jornada é sempre múltipla. As manas criam filhos, músicas, ensaiam e, muitas vezes, precisam de mais de um emprego. Frente a tudo isso, apresentam uma potência criativa e qualidade artística que precisa ser visibilizada", explica Silvana Cordova, presidente do Movimento Vambora.

A 3ª edição do VMB Hip Hop conta com o apoio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) e Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). São parceiros a Associação de Catadores de Mato Grosso e o projeto Teoria Verde na coleta seletiva, reciclagem e compostagem de todo resíduo gerado no evento, que aposta na sustentabilidade.

Campeonatos de esporte e cultura

O 3° VMB Hip Hop realizará campeonatos culturais e esportivos com premiações.

Uma das competições é o basquete de rua na modalidade 3x3. Serão dez times em cada categoria, masculino e feminino que competirão pela premiação de R$1500,00 e R$2.000,00, respectivamente. ​O valor da inscrição é R$ 30,00 e 4kg de alimento não perecível por time com cadastro no site da Federação Internacional de Basquete - FIBA: https://bit.ly/vmb3x3. ​Os alimentos serão doados para instituições de apoio ao Rio Grande do Sul.

Iniciantes ou profissionais na arte do grafitti também poderão participar gratuitamente de uma “batalha” em que cada participante receberá latas de tinta em spray e um tambor de 60L para usar a criatividade. Os tambores com melhor avaliação do público presente receberão prêmios de R$ 300,00 (1º lugar), R$200,00 (2º lugar) e R$ 100,00 (3º lugar) nas categorias masculino e feminino.
O VMB Hip Hop reúne ainda personalidades da comunidade ballroom, uma cultura que celebra a diversidade de gênero, sexualidade e raça, com batalhas de dança. As performances serão divididas em três categorias com premiações de R$ 100,00 cada. A participação é livre, sem inscrição.

Atração do rap nacional

Nascida em São Paulo, Drik compõe desde os 14 anos e, antes do triunfo, chamou atenção pelo seu freestyle na Batalha do Santa Cruz, berço do rap contemporâneo. A artista colocou na rua um cartão de visitas em 2018, com o EP ‘Espelho’. Em 2019, compôs a música "Corda Bamba" especialmente para a série 'Carcereiros', da Rede Globo. Ao lado de Emicida, protagonizou a campanha da coleção de Dia dos Namorados da loja Imaginarium com a canção inédita "Mil Coisas".

Em seu álbum de estreia Drik Barbosa (2019), a artista canta sobre suas lembranças e vivências de uma mulher negra no Brasil. Com sonoridade urbana, afro-brasileira e contemporânea, o trabalho tem participações de Gloria Groove, Karol Conka, Emicida, Luedji Luna e Rael. O videoclipe de "Quem Tem Joga", com Gloria Groove e Karol Conka, contabiliza mais de 4,6 milhões de views.

Com o projeto NÓS, que dá nome a seu show, Drik Barbosa aborda o resgate da humanidade, a importância do afeto na vida das pessoas e traz mensagens de empatia, resistência, esperança e união. É composto por quatro singles em EP, de 2020, que reúne parcerias com Rashid, Péricles, Cynthia Luz e Lourena, e Psirico e RDD.

Música e literatura mato-grossense

Luciene Carvalho é a primeira mulher negra a assumir a presidência de uma academia de Letras no Brasil, a AML - Academia Mato-Grossense de Letras. Escritora e poetisa, autora de diversas obras que conquistaram prêmios e condecorações. Como declamadora, parte importante do seu trabalho, presenteia o público com shows poéticos em que unem criações em figurino, efeitos cênicos e trilhas musicais. Suas publicações são: 'Conta-gotas', 'Sumo da lascívia', 'Aquelarre ou o livro de Madalena', 'Porto, Cururu e Siriri do Rio Abaixo'(Instituto Usina); Caderno de caligrafia (Cathedral); Teia (Teia 33), Devaneios poéticos: coletânea (EdUFMT); Insânia (Entrelinhas); Ladra de flores, Dona e Na pele (Carlini & Caniato).

Natural de Rondonópolis-MT, Pacha Ana passeia por ritmos brasileiros, afrodiaspóricos e ancestrais. Foi a primeira mulher a gravar um disco de rap em Mato Grosso, "Omo Oyá", de 2018. O segundo, o álbum de hip hop "Suor e Melanina", de 2021, transita pelo R&B e Neosoul; e o terceiro e mais recente, Motumbá (a benção em Yorubá), de 2023, é uma homenagem ao Candomblé e as religiões de matriz africana. Além das produções e performances musicais, também se destacam seus poemas e suas declamações; Pacha Ana foi, por quatro anos, a representante mato-grossense no Slam BR, campeonato nacional de poesia falada.

Karla Vecchia atua no hip-hop mato-grossense há mais de 20 anos. Com uma voz marcante, expressa em rimas, vivências, nuances e sonhos de uma mulher periférica, despertando empoderamento e amor próprio, entre outras expansões. Seu álbum "Quem atira a primeira pedra?", de 2021, é prestigiado pelos temas abordados e pela qualidade musical. Participou de uma cypher de fomento do rap feito por mulheres, 'R.U.A 10 Rosas de Aço', a convite da produtora audiovisual B.U.S.H.I.D.O. É uma das autoras da coletânea de poesias "Slam Xero de Xita", lançado, em 2022, pelo grupo Mulheres do Hip Hop MT. Além de rapper, atua junto a projetos sociais e com formação de MCs.

Rapper Azul começou no hip hop pela Batalha da Alencastro, a maior de Cuiabá. Quando morou em Belo Horizonte-MG, se apresentou em festivais, atos políticos e virada cultural. Em Cuiabá-MT, foi atração de eventos como o 'Vem Pra Arena' e diversas edições do 'Hip Hop combate às drogas'. Campeã do 'Slam 300 anos', em 2019, na capital, integrou a Coletânea 065-MTRAP no ano seguinte. Em 2021, participou do Women’s Voices in Hip Hop, evento organizado pelo Department Of Africana da Faculdade de Pittsburgh, EUA. Azul também é autora na trilha sonora de 'Bereu', espetáculo dirigido pelo diretor Flávio Ferreira.

Dona de um gosto musical apurado e uma energia contagiante, a DJ Pri Pires vem construindo, desde 2019, um amplo portfólio. Já tocou nas principais casas noturnas de Cuiabá e integrou eventos com grandes nomes da cena nacional. Faz parte da crew Suntchine, selo de música eletrônica que atua na capital. Traz amplo repertório dançante que transita entre brasilidades, nu disco, house music ao deep house. Promete surpreender e não deixar ninguém parado na pista.

Serviço
VMB Hip Hop - 3ª edição
Data: 25 de maio, sexta-feira;
Local: Espaço Cultural Silva Freire (R. Um Jd. Buriti - Jardim Nossa Sra. Aparecida, Cuiabá-MT)
Entrada: Gratuita

Programação:

17h - Abertura dos portões /
Cypher Breaking Dance
17h - Basquete 3X3 (Masculino e feminino)
18h - Batalha de graffiti
18h - DJ Pri Pies
19h - Bora de Ball - Monas e Minas
20h30 - Karla Vecchia
21h - Pacha Ana
22h - Luciene Carvalho
23h - Drik Barbosa
00h - Rapper Azul
01h - DJ Pri Pires

Mais informações pelo @vmb.hip.hop no Instagram.


Da assessoria
Clique AQUIentre no grupo de WhatsApp do Entretê e receba notícias de Cultura e programações artísticas.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet