Cuiabá, sábado, 23/01/2021
12:13:18
informe o texto

Notícias / Literatura

17/12/2020 às 12:30

Luciene Carvalho manifesta versos de aquilombamento em tempos de pandemia; assista

Lançamento do novo livro 'Na Pele' reúne performances de artistas negros em edição especial do programa Arte e Cultura Mato Grosso na TV Assembleia

Maria Clara Cabral

Luciene Carvalho manifesta versos de aquilombamento em tempos de pandemia; assista

Foto: Karen Malagoli

Os versos que compõem a nova obra de Luciene Carvalho foram escritos em 61 dias, entre junho e julho de 2020. 'Na Pele' traz reflexões de um contexto de confinamento da poetisa – expoente da literatura mato-grossense, autora de 'Dona' e primeira mulher negra a ocupar uma cadeira na Academia de Letras – seus fluxos e percursos durante a pandemia da covid-19.

"Nas primeiras semanas desse aquilombamento, com raras saídas e nenhuma visita, minha garganta entrou em colapso; meu coração de poeta percutiu numa batida que me atravessou inteira: eu queria falar sobre ser preta, queria dialogar com os pretos do meu hoje; através dos meus versos, queria conversar com os viajantes da Rota da Melanina. Urgia. Na TV, estarrecida, vi joelhos sobre pescoços negros: sincronicidade: eu também não estava conseguindo respirar…", relata a artista.

No lançamento da obra, toda a potência da cultura preta assume o palco do Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros para o programa Arte e Cultura Mato Grosso – Especial Virada 2020/21.
O programa será vai ao ar na TV Assembleia neste sábado (26), às 15h, com reprise no domingo (27), às 15h e às 20h.

No palco, artistas interpretam poemas da nova obra em homenagem à negritude, guiados pelo mestre de cerimônias, Raul Lázaro, cuiabano, jornalista e produtor cultural.  

Nezinho, do Grupo Quilombola de Mata-Cavalo-de Cima, apresenta 'O Siriri do Escravo'. Comprometido com o ativismo negro, Rodrigo Zaidem faz cinema e teatro pelo Brasil. Estudante de direção na MT escola de Teatro, ele vai interpretar o poema “Figa”, um dos destaques da nova obra de Luciene.

"Quando cheguei em Cuiabá minha prima Zulma falava: 'Figa!' quando via viaturas policiais. Eu não entendia na infância dos meus 11 anos. (...) Ela disse que eu tinha o 'beiço roxo', que eu era preta do 'beiço roxo'. Aí eu descobri que era preta e não morena como me haviam enganado desde pequena (...) Os guris voltavam apanhados, iniciados no aprendizado de que a rua não era deles, de que a cidade não era deles”.

Cabe a Rapper Azul, da sensibilidade poética e da origem periférica, interpretar o lindo poema 'Encardida', que traduz as sensações de uma menina, que não sabia destas coisas de preto e de branco. Tentou se divertir com as outras colegas do colégio, ao que ouviu:

- "Nem pensar. Na nossa turma, você não vai jogar. Aqui não tem lugar para você. Será que não vê? Você é encardida! (...) Ao chegar em casa, guardou a mochila, subiu no banquinho, lavou as vasilhas, limpou toda a pia". Pegou o sabão, foi para atrás da casa, entrou na bacia e, ao se ensaboar queria ter a pele do corpo igualzinho à palma da mão.

Articulador de movimentos sociais, lenda da discoteca e da música, Dj Taba – ele próprio uma narrativa do movimento Hip Hop em Mato Grosso -, estará na festa para celebrar o momento inédito da arte mato-grossense.

O ator André D´Lucca, influenciador digital, humorista conhecido nos cenários regional e nacional, e observador atento há anos da poesia de Luciene, vai brindar os telespectadores com uma interpretação própria de Fuga do Encontro, um poema totalmente autobiográfico de Luciene.

Confira o trecho literal: "Neguei. Neguei. Fingi não ver. Fingi não doer. Fingi que nada iria acontecer... Cheguei num tal local da existência em que falo do assunto ou volto pra demência".


Patrimônio imaterial

O lançamento será oficializado por uma singela cerimônia de entrega de 'Na Pele' à Casa das Pretas, novo espaço cultural de Cuiabá, "transformando o livro em patrimônio imaterial", comenta Luciene.


Ao final do espetáculo, Luciene distribui exemplares da obra para as idealizadoras Paty Woolf, Gilda Portella e Antonieta. Por último, para êxtase geral, declama o último poema do livro, chamado Quilombo Geral.

"Existe tanto talento negro neste Mato Grosso, que o programa é só uma palhinha. E o livro Na Pele é uma voz de legado pros meus e eu não faço mais do que a obrigação em escrever sobre isso".


A autora


Luciene Carvalho ocupa a cadeira n. 31 da Academia Mato-grossense de Letras (AML) e é autora de inúmeras obras que conquistaram prêmios e condecorações, sendo 'Dona (Carlini & Caniato, 2018)' o livro mais recente. Parte importante de seu trabalho se faz em shows poéticos, como declamadora, em que une figurino, efeitos cênicos e trilhas musicais para oferecer sua poesia viva e colocá-la à serviço da emoção da platéia.

Também são obras de sua autoria: 'Sumo da lascívia'; 'Aquelarre ou o livro de Madalena'; 'Porto'; 'Cururu e Siriri do Rio Abaixo (Instituto Usina)'; 'Caderno de caligrafia (Cathedral)'; 'Teia (Teia 33)'; 'Devaneios poéticos: coletânea (EdUFMT)'; 'Insânia (Entrelinhas)' e 'Ladra de flores (Carlini & Caniato)'.

Arte e Cultura de Mato Grosso

O
Especial Virada 2020/21 é o 25º programa inédito do projeto, que objetivou oferecer atrações culturais para a plateia isolada em casa e garantir socorro financeiro aos artistas. O projeto da Assembleia Social, gestora do Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros, já contemplou mais de 140 artistas de várias expressões, como dança, literatura, fotografia, cultura popular, artes plásticas, entre outas.
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Preencha seu email abaixo para receber atualizações diárias de nossos artigos
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet