Cuiabá, quarta-feira, 04/08/2021
20:29:14
informe o texto

Notícias / Judiciário

14/06/2021 às 11:00

Apartamento de R$ 2 milhões de Alan Malouf é colocado a leilão pela Justiça

Espaço tem cinco suítes com sacada, além de uma varanda com SPA e churrasqueira; saiba mais

Camilla Zeni

Apartamento de R$ 2 milhões de Alan Malouf é colocado a leilão pela Justiça

O empresário Alan Malouf e seu advogado, Huendel Rolim

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Apartamento de luxo do empresário Alan Ayoub Malouf, avaliado em R$ 2 milhões, foi colocado para leilão com autorização da 7ª Vara Criminal de Cuiabá. O valor arrecadado deverá ser usado como parte de pagamento do acordo de delação premiada do empresário, pivô da Operação Rêmora.

Trata-se de um apartamento no Edifício Forest Hill, localizado no bairro Jardim Ubirajara, na saída para o município de Chapada dos Guimarães (MT-251). O local conta com uma área privativa de 441,5m² e área total de 754,5m², com quatro vagas de garagem no 2 subsolo, além de cinco suítes com sacadas, sendo uma master, com dois banheiros. 

O apartamento tem ainda um escritório, uma varanda com SPA e churrasqueira, um hall íntimo, a cozinha, uma área de prataria, área de serviço, despensa, ar condicionado na sacada, um box de despejo e um lavabo. 

O leilão será realizado no dia 23 de junho, das 13h às 16h, de forma online pelo site www.estanciabahia.com.br e pelo aplicativo EBLWEB. Na primeira praça, o lance mínimo é o valor do imóvel. Já a segunda praça é prevista para o dia 7 de julho, das 13h às 16h com lance mínimo de 80% do valor de avaliação. 

Os interessados em participar do leilão eletrônico deverão se cadastrar e habilitar em até 48 horas antes do encerramento do leilão, ou seja, até o dia 21 de junho e 5 de julho. 

Delator

Alan Malouf é delator da Operação Rêmora, que apurou desvio de recursos na Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para pagamento de dívidas de campanha do ex-governador Pedro Taques em 2016. Malouf havia sido coordenador financeiro da campanha de 2014 de Taques e denunciou diversos crimes ao longo de 20 anexos em sua delação.

O sigilo da delação caiu em 2018 dando luz às denúncias. Entre os casos relatados estão a fraude na Seduc, esquemas de corrupção e caixa dois para pagamento das dívidas de campanha e intervenções junto ao Gaeco.

Malouf se comprometeu a pagar R$ 5,5 milhões em 10 parcelas. Desse valor, R$ 4 milhões são referentes a multa e R$ 1,5 milhão de indenização por danos morais pelos crimes cometidos. A última prestação é prevista para dezembro de 2022. Sua delação também estipulou o cumprimento de 15 anos de prisão, sendo 7 meses em prisão domiciliar, 1 ano e cinco meses no regime semiaberto e 13 anos no regime aberto diferenciado, o que o isenta do uso de tornozeleira eletrônica.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet