Cuiabá, domingo, 25/07/2021
22:08:16
informe o texto

Notícias / Judiciário

20/07/2021 às 20:15

Juiz atende pedido da defesa e remarca julgamento de militares para março de 2022

Ministério Público pede absolvição de sargento e soldado, mas mantém acusação contra cabo pelo crime

Débora Siqueira

Juiz atende pedido da defesa e remarca julgamento de militares para março de 2022

Foto: Reprodução

O juiz da 11ª Vara Criminal, Marcos Faleiros, remarcou o julgamento dos três militares acusados pelo Ministério Público pela morte do tenente do Batalhão de Operações Especiais (Bope) Carlos Henrique Scheifer para 24 de março de 2022, às 13h30. A sessão estava prevista para esta quarta-feira (21), mas foi adiada atendendo ao pedido da defesa.
 
O advogado Marciano Xavier das Neves responsável pela defesa dos acusados cabo Lucélio Gomes Jacinto e o sargento Joailton Lopes de Amorim, sustentou que trata-se de um processo complexo e como o Fórum de Cuiabá deve reabrir logo, ele pediu para que o julgamento ocorresse de forma presencial.

Leia também - MP pede condenação de cabo da PM por executar Scheifer e laudo aponta para tiro frontal
 
“Com o Fórum fechado, um processo como este exige que seja presencial e solicitamos que o julgamento ocorresse em outra data para que pudesse ser presencial, do que um julgamento online”, argumentou o advogado.
 
Além dos dois, também será julgado o soldado Werney Cavalcante Jovino. Os três compunham a equipe do tenente Scheifer em uma missão no interior de Mato Grosso, quando prestava apoio a outras equipes em uma diligência policial, na cidade de Matupá, objetivando a localização e detenção de assaltantes de banco, na modalidade "novo cangaço", envolvidos em uma troca de tiros com policiais. O tenente foi morto no dia 13 de maio de 2017. 
 
Absolvição de dois militares
 
Apesar de ter denunciado os três, o Ministério Público pediu a absolvição do sargento Joailton Lopes de Amorim e do soldado Werney Cavalcante Jovino por falta de provas do envolvimento deles no crime. 
 
Para o Ministério Público, não resta dúvida de que Scheifer foi executado, porém, ao contrário da acusação inicial, somente o cabo Lucélio Gomes Jacinto seria o responsável pelo assassinato do tenente. 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet