Cuiabá, segunda-feira, 08/08/2022
05:37:03
informe o texto

Notícias / Variedades

29/06/2022 às 08:44

Família de Sérgio Hondjakoff também recebe tratamento

Com ajuda de amigos famosos, ator atualmente está internado numa conceituada clínica do Rio de Janeiro

Metrópoles

Família de Sérgio Hondjakoff também recebe tratamento

Foto: Reprodução TV Record

Quase um mês após Sérgio Hondjakoff dar início ao tratamento para vencer a luta contra o vício das drogas, alguns pontos importantes na vida do ator já começaram a ter mudanças. Atualmente internado numa conceituada clínica do Rio de Janeiro, ele também segue o tratamento com o terapeuta Sandro Barros, que desenvolveu um método transformador na recuperação de pessoas que passam pela mesma situação.

A coluna LeoDias soube que a família de Serginho também está recebendo suporte profissional: pai, mãe, esposa e filho estão sendo acompanhados por Sandro. “Eles estão do lado de fora esperando ele se tratar lá. Eles precisam se fortalecer para quando o Sérgio sair, estejam fortes emocionalmente para lidar com todo contexto”, adiantou Sandro Barros, que faz atendimento a eles, tanto on-line quanto presencial, semanalmente.

Sandro conversou durante quase uma hora com Serginho por telefone após o vídeo em que ele aparece alterado, brigando com o pai, viralizar na web. O ator foi convencido por Bruno Gagliasso, Kayky Brito e também por Rafael Ilha, a atendê-lo. “Falei com ele e como terapeuta, eu entendi suas questões”, nos relatou o profissional.

Hoje, como terapeuta, Sandro atende pacientes de maneira on-line fora do Rio de Janeiro e também fora do Brasil, como Austrália, Europa e Estados Unidos, além de também atuar salvando pessoas em situação de rua.

Terapeuta e acompanhante terapêutico: entenda a diferença

“Esse meu trabalho de acompanhante terapêutico, em alguns momentos, é tipo um amigo terapeuta, é diferente de psicólogo e psiquiatra, por isso eu complemento esses profissionais. O acompanhante tem muita proximidade e não tem o distanciamento que o psicólogo e psiquiatra precisam ter. O ideal seria o paciente ter um psicólogo por semana, um psiquiatra por mês pelo convênio e ainda o acompanhante terapêutico”.

O diferencial no tratamento de Sérgio Hondjakoff

“O meu consultório é o cotidiano. O trabalho de acompanhante terapêutico não dá para ser feito on-line. O que eu faço é levar para passear, fazer um esporte, mas cada caso é um caso. Quando a gente fala de comportamento humano, é um cronograma diferente para cada um. Tem paciente que quer correr na praia, tem aquele que quer andar de skate, jogar futevôlei.

E será assim com Serginho. Vou descobrir o que ele gosta de fazer, criar um cronograma que ele goste de praticar, mas sobretudo, eu preciso trabalhar o três pilares: alimentação, sono e atividade física. Quem está nas drogas não come direito, não dorme direito e não faz esporte. O sono tem função reparadora, alimentação também, precisa comer no horário e fazer atividade física”, explicou Sandro.
Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet