Cuiabá, segunda-feira, 27/05/2024
23:56:30
informe o texto

Notícias / Eleições

12/09/2022 às 11:02

Após conquistar registro, Neri convoca militância para ir às ruas pedir votos

A intenção do progressista é aproveitar essa reta final de campanha para subir nas pesquisas de intenção de voto e, assim, ultrapassar o primeiro colocado, o senador Wellington Fagundes (PL)

Kamila Arruda

Após conquistar registro, Neri convoca militância para ir às ruas pedir votos

Foto: Câmara Federal

Após conseguir o registro da candidatura junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), em julgamento concluído na manhã desta segunda-feira (12), o deputado federal Neri Geller (PP), postulante ao Senado no pleito deste ano, convocou a sua militância para ir às ruas pedir votos.

A intenção do progressista é aproveitar essa reta final de campanha para subir nas pesquisas de intenção de voto e, assim, ultrapassar o primeiro colocado, o senador Wellington Fagundes (PL).

“É a hora da verdade. Quero conclamar a nossa militância, nossas lideranças, a irem para as ruas pedir voto, fazer o debate de peito aberto. Tenho fé em Deus de que a vitória nas urnas virá”, disse o parlamentar que, na semana passada admitiu que, a pendência de registro associada ao fato de ter tido o seu mandato cassado estava prejudicando a sua campanha eleitoral à sentória.

Nesta segunda, a Justiça Eleitoral de Mato Grosso deferiu o registro de candidatura do parlamentar. A votação, contudo, foi bem apertada, 4 votos a 3.

O Ministério Público Eleitoral (MPE) emitiu parecer contrário ao registro de candidatura do congressista ao Senado. A defesa do parlamentar, por sua vez, pediu a revisão do mesmo, alegando que a contestação do órgão ministerial seria intempestiva, uma vez que já havia dado o aval para o registro, dentro do prazo eleitoral. 

Geller teve o seu mandato cassado em 23 de agosto pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Por conta disso, ele ainda foi declarado inelegível por oito anos. 

Logo após a decisão que deferiu a sua candidatura, Neri afirmou que em nenhum momento duvidou que a justiça seria feita. "Agradeço muito a Deus, sabia que a justiça seria feita e que os juízes reconheceriam minha condição".

 
Com assessoria
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet