Cuiabá, sábado, 25/05/2024
03:22:25
informe o texto

Notícias / Política

13/04/2024 às 16:58

PARTIDO RACHADO?

Fávaro se reúne com Kassab para definir se PSD libera ou não filiados em disputa por Cuiabá

A informação foi confirmada pelo suplente de senador José Lacerda, que reforçou que a presença do ‘sentimento local' intensifica a dinâmica das eleições municipais

Da Redação - Amanda Garcia / Do Local - Jardel P. Arruda

Fávaro se reúne com Kassab para definir se PSD libera ou não filiados em disputa por Cuiabá

Foto: Foto: Denise Soares/Leiagora

O presidente do PSD em Mato Grosso, Carlos Fávaro, articula nacionalmente a possível liberação de filiados durante a corrida eleitoral em Cuiabá. A informação é do suplente de senador José Lacerda, que afirmou que o ministro tem constantemente participado de reuniões junto ao presidente nacional da sigla no intuito de encontrar a melhor saída diante do ‘racha’ evidenciado na agremiação.

Isso porque, quando se trata da Capital mato-grossense, muitos já manifestaram interesse de seguir em apoio à candidatura presidente da Assembleia Legislativa Eduardo Botelho (União), no entanto, o PSD encontra-se de aliança firmada com a Federação Brasil da Esperança (PT, PV e PCdoB), que terá possivelmente a candidatura do deputado estadual Lúdio Cabral (PT), representando o grupo durante a durante a disputa.

“O nosso ministro e senador Carlos Fávaro está fazendo essas reuniões internas para tratar das eleições municipais e, todos nós sabemos que a política é a arte da construção. Por se tratar de uma eleição municipal, o Kassab provavelmente ainda irá se posicionar sobre a melhor maneira de conduzir como os diretórios regionais irão se posicionar em cada município”, disse nesta quarta-feira (10).

Assegurando que será partidário, Lacerda explicou que devido ao ‘sentimento local’ e a dinâmica diferente das eleições municipais, o tópico precisa ser amplamente discutido entre os filiados e lideranças do partido.

“Eu acredito que alguns eleitores e membros do partido não vão seguir com as deliberações, mas em tese, cada partido tem seu estatuto e tem que ter sua fidelidade. Eu, por exemplo, vou acompanhar a decisão do partido. Eu sou membro do partido. Agora, é uma eleição municipal, uma eleição diferente, estrutura, a dinâmica política e democrática, é tudo diferente, porque há muito sentimento local. Tem município que os companheiros já possuem até uma certa inimizade que é pessoal, isso porque às vezes a cidade é menor e existe aquela briga política doméstica. Então você não consegue fazer que o partido apoie completamente determinadas pessoas por causa daquela questão doméstica”, avaliou.

Conforme o político, apesar de quaisquer definições, a decisão partidária deverá ser cumprida rigorosamente.

“Tem fidelidade ou não tem. Cada filiado no partido sabe sobre as próprias responsabilidades estatutárias. Divergências ocorrem, mas na política não existe o 'eu quero', só que as pessoas tendem a esquecer que a política tem sequência, se você comete um erro político, ela te cobra imediatamente”, reiterou.
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet