Cuiabá, domingo, 16/06/2024
21:55:27
informe o texto

Notícias / Política

29/05/2024 às 15:29

PERSEGUIDO OU NÃO?

Vereador sai em defesa de Emanuel após operação e diz que prefeito sofre perseguição

Emanuel já acumula dois afastamentos e 20 operações policiais em seu histórico no comando da Prefeitura de Cuiabá

Da Redação - Gabriella Arantes /Da Reportagem Local - Paulo Henrique Fanaia

Vereador sai em defesa de Emanuel após operação e diz que prefeito sofre perseguição

Foto: Reprodução

O vereador Marcrean Santos (MDB), líder do governo na Câmara de Cuiabá, saiu em defesa do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) após Operação Miasma, deflagrada pela Polícia Federal nessa terça-feira (28).  O parlamentar afirma que o gestor municipal é perseguido políticamente e que isso tem prejudicado o desenvolvimento da Capital.

Emanuel já acumula dois afastamentos e 20 operações policiais em seu histórico no comando do Palácio Alencastro, sendo a maioria deles mirando a saúde municipal.  

“Da vigésima operação, o prefeito já provou em seis operações a inocência dele. O que acontece hoje na Prefeitura de Cuiabá, não está acontecendo em nenhuma prefeitura do estado de Mato Grosso. O que acontece é uma briga de forças do governo do Estado contra o prefeito da Capital. [...] É uma questão partidária, pessoalizada, que está trazendo um prejuízo enorme para a população de Cuiabá. [...] O prefeito vive momentos desde do primeiro mandato, um momento de perseguição permanente na sua administração”, afirmou nesta terça-feira (28). 

A operação Miasma foi deflagrada depois de duas investigações que identificaram um esquema na compra de software no valor de R$ 14 milhões, e na locação de van e ambulância, pertencentes ao pai de um dos servidores públicos responsáveis pela fiscalização contratual.

Leia também - Vereadores ironizam 20ª operação contra prefeitura com bolo e picolé de chuchu

Conforme a  Polícia Federal,  as investigações apontaram que os esquemas de fraudes e peculato na Secretaria Municipal de Saúde de  Cuiabá ocorreram entre os anos de 2021 e 2023.

Através de uma nota, a gestão alega que só teve ciência dos processos pela imprensa, e que somente após obter as devidas informações sobre os contratos que estão sendo alvo de apuração, irá se posicionar de forma mais efetiva.
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet