Cuiabá, terça-feira, 18/06/2024
04:02:17
informe o texto

Notícias / Política

29/05/2024 às 12:37

LAMENTÁVEL

Botelho lamenta 20ª operação policial em Cuiabá, mas evita criticar primeira-dama

Ele afirma que irá aguardar o desfecho das investigações

Da Redação - Vanessa Araújo / Da Reportagem Local - Jardel P. Arruda

Botelho lamenta 20ª operação policial em Cuiabá, mas evita criticar primeira-dama

Foto: Assessoria

O deputado estadual Eduardo Botelho (União), pré-candidato a prefeito de Cuiabá, lamenta o fato de a saúde da Capital ter sido alvo de mais uma operação policial, e afirma que está indignado com a situação do setor.
 
“Como todos os cuiabanos, como todos os munícipes, estou indignado com tantas operações e com a situação ruim que está a saúde. Estou sofrendo igual a todos os munícipes com essa questão da Saúde. O mais lamentável é a situação da saúde. A saúde do jeito que está e nós vemos essas operações acontecerem. Estou lamentando e chorando por conta dessa situação”, disse nesta quarta-feira (29).
 
As declarações do parlamentar fazem referêcia a Operação Miasma, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira (29). Essa é a 20ª operação policial na gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), a qual trouxe a tona possível envolvimento do irmão e sobrinho da primeira-dama, Marcia Pinheiro.
 
Com relação a isso, Botelho evitou tecer comentários e disse que irá aguardar o desfecho das investigações. “Eu prefiro aguardar todas as investigações, não quero fazer uma fala em cima da primeira-dama do município, mas eu acho que a polícia vai desvendar tudo e esclarecer todos esses fatos”, finalizou.

Operação Miasma

A operação Miasma foi realizada após duas investigações identificarem um esquema na compra de software no valor de R$ 14 milhões, e na locação de van e ambulância, pertencentes ao pai de um dos servidores públicos responsáveis pela fiscalização contratual.

As investigações da Polícia Federal apontaram que os esquemas de fraudes e peculato em detrimento da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá ocorreram entre os anos de 2021 e 2023.

Em nota, a prefeitura alegou que só teve ciência dos processos pela imprensa, e que somente após obter as devidas informações sobre os contratos que estão sendo alvo de apuração, irá se posicionar de forma mais efetiva.
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet