Cuiabá, quinta-feira, 18/07/2024
13:21:09
informe o texto

Notícias / Política

10/06/2024 às 17:56

SATURAÇÃO DE OPERAÇÕES

Mauro quer 'sufocar' facções criminosas em Mato Grosso

Governador promete mais ações como Operação Ragnatela, mas pede colaboração de prefeitos

Jardel P. Arruda

Mauro quer 'sufocar' facções criminosas em Mato Grosso

Foto: Mayke Toscano/Secom-MT

Sufocar. Esse foi o verbo escolhido pelo governador Mauro Mendes (União) para definir como as Forças de Segurança do Estado estão atuando em ofensiva contra as facções criminosas em Mato Grosso. De acordo com ele, a exemplo da Operação Ragnatela, que atacou laços do Comando Vermelho com o poder público, muitas outras ações vão acontecer em breve.

“Operações em cima de operações, vamos sufocar [o crime] para que a gente possa tentar controlar esse crescimento que está no Brasil inteiro. [...] Nós estamos sufocando ,estamos indo para cima. E pode escrever, vão ter muitas operações, muitas ações coordenadas pela polícia civil, pelas forças de segurança”, disse Mauro.

A declaração foi dada na manhã de segunda-feira (10), em entrevista à Rádio CBN Cuiabá. Na ocasião, ele destacou que se reuniu pessoalmente com todos os chefes das forças de segurança de Mato Grosso e determinou o combate ao crime organizado pela saturação de operações.

Segundo ele, essa ordem foi dada diretamente ao secretário de Estado de Segurança Pública, César Roveri, à delegada-Geral da Polícia Civil, Daniela Maidel, e ao comandante-Geral da Polícia Militar, coronel Alexandre Mendes. A ideia é aumentar a cooperação entre as instituições de segurança e deflagrar o maior número de operações possível.
 
A Operação Ragnatela foi deflagrada pela Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Mato Grosso (Ficco-MT)  no último dia 05, e desarticulou uma organização criminosa que se utilizava de casas noturnas para lavar o dinheiro do tráfico. Ela trouxe à tona a ligação de facção criminosa com agentes públicos, e ainda apontou uma movimentação milionárias.

O vereador por Cuiabá Paulo Henrique, e servidores da Câmara de Cuiabá e do município foram alvos.

Essa não é a primeira ação policial que expõe a ligação entre facções criminosas e a política. A Operação Apito Final, que culminou na prisão de um dos maiores líderes do Comando Vermelho na Capital, trouxe à tona a intenção da facção criminosa em eleger vereadores na Capital no pleito deste ano.
Clique aqui, entre na comunidade de WhatsApp do Leiagora e receba notícias em tempo real.

Siga-nos no Twitter e acompanhe as notícias em primeira mão.


 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet