Cuiabá, terça-feira, 17/09/2019
09:08:13
informe o texto

Notícias / Política

07/05/2019 às 16:21

Juíza concede liberdade a Huark após confessar fraudes

Na última sexta-feira (02), os acusados tiveram as suas prisões revertidas em medidas cautelares e ao uso de tornozeleiras

Luana Valentim

Juíza concede liberdade a Huark após confessar fraudes

Foto: Reprodução da internet

A juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Ana Cristina Silva Mendes, destacou que reverteu as prisões preventivas do ex-secretário Municipal de Saúde, Huark Correa, e dos médicos Luciano Correia Ribeiro e Fábio Liberali, em medidas cautelares após terem confessado que fraudaram um processo licitatório no valor de R$ 5 milhões no Hospital São Benedito, em 2015.
 
Na última sexta-feira (02), os acusados tiveram a prisão revertida em medidas cautelares e ao uso de tornozeleiras eletrônicas.
 
Saiba Mais: Huark e médicos 'ganham' liberdade, mas terão que cumprir cautelares

O Ministério Público entrou com uma ação penal contra Huark, Fábio Liberali, Luciano, Fábio Alex Taques, Celita Natalina Liberali, Kedna Iracema Fontenele, Adriano Luiz Alves Souza e Flávio Alexandre Taques, pela prática de crime de organização criminosa e contra a administração pública investigados na Operação Sangria.
 
A magistrada argumentou que os réus confessaram que, para a composição de preço no Termo de Referência da Licitação do Hospital São Benedito, participaram as empresas pertencentes a eles.
 
E que, durante a execução do contrato administrativo, houve o pagamento mensal de vantagem indevida a agente público, o que os réus pretendem detalhar como foram feitos esses repasses, não somente no contrato com o Hospital São Benedito, mas também em outras unidades hospitalares.
 
Contudo, os acusados passaram a colaborar com as investigações, sendo devidamente reconhecido pelo juízo ao deferir o pedido de transferência deles para uma unidade prisional em que conferisse possibilidade de tratativas com a defesa.
 
“A considerar o teor das declarações dos Embargantes, tais apontamentos nos levam a deduzir que não mais persiste a conduta obstativa dos acusados, de modo que, por certo, essas informações são indispensáveis ao prosseguimento das investigações, com vias de conferir a Autoridade Policial o conhecimento da amplitude dos atos criminosos que se busca desvendar”, diz trecho da decisão.
 
Assim, a magistrada entendeu que a manutenção da prisão preventiva dos acusados é, atualmente, desnecessária e a garantia da ordem pública pode ser assegurada pelas medidas cautelares.
 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Izabelle 08/05/2019 às 00:00

    E o dinheiro? vai retornar para o poder público? ou vai terminar tudo em pizza só porque ele confessou que cometeu o crime?! Pior que ainda volta a atender os pacientes no Hospital como se não tivesse acontecido nada... ACORDA BRASIL!!

Enquete

Você está satisfeito (a) com a gestão do governador Mauro Mendes?

Você deve selecionar uma opção
+enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet