Cuiabá, quarta-feira, 18/09/2019
18:04:09
informe o texto

Notícias / Cultura & Arte

20/05/2019 às 00:00

De volta às origens, Virada Cultural atrai 4,6 milhões de pessoas em fim de semana gelado

Leiagora

De volta às origens, Virada Cultural atrai 4,6 milhões de pessoas em fim de semana gelado

Apresentação da dupla Anavitória no Palco Anhangabaú

Foto: Ronaldo Silva/Futura Press/Folhapress

Visto do viaduto do Chá, ou do Santa Ifigênia, o vale do Anhangabaú parecia novamente invadido por um rio. O movimento e o brilhar de luzes, porém, não eram da água e do reflexo nela das estrelas, mas sim do mar de gente e de seus celulares.

O palco principal da 15ª Virada Cultural, ali instalado, chegou a receber público de 200 mil pessoas, segundo a prefeitura. Criolo, já na madrugada de domingo (19), e Anitta, mais tarde, ao meio-dia, foram os que mais fizeram as pessoas se apertarem. No sábado à noite, Caetano Veloso e os filhos Tom, Zeca e Moreno, atraíram 160 mil ao show "Ofertório".

Durante as 24 horas do evento, que começou às 18h de sábado (18), cerca de 4,6 milhões de pessoas passaram pelas 1.200 atrações espalhadas em 250 pontos da capital paulista. Neste ano, a prefeitura investiu R$ 18,6 milhões na Virada, o mesmo valor investido na edição do ano passado, que teve público de 3 milhões.

A aposta da gestão de Bruno Covas era simples: voltar às origens. Em 2017 a Virada arriscou uma grande mudança, saindo do centro com os palcos principais e suspendendo a programação durante a madrugada, assim, teve queda expressiva de público. Se antes girava em torno de 3 ou 4 milhões -número atingido em 2012, por exemplo- naquele ano o público caiu para 1,6 milhões.

Com muita gente na rua circulando madrugada adentro pelas vias do centro, não houve ocorrências policiais graves. Foram mobilizados para o evento 2.400 agentes da Guarda Civil Municipal e 11 mil policiais militares.
O balanço é de uma festa tranquila, diferente de anos em que houve registro mortes (2013 e 2016), feridos a bala e a faca, além de grandes arrastões. Segundo a Polícia Militar, neste ano 3.360 pessoas foram abordadas e 23 foram presas.

Um bebê foi abandonado em um carrinho, por volta das 4h do domingo, no vale do Anhangabaú. Ele foi encaminhado ao Hospital das Clínicas e, ainda não identificado, está sob os cuidados do Conselho Tutelar.
Em sua estreia em Viradas, a avenida Paulista, que foi motivo de disputa judicial às vésperas do evento, com moradores tentando evitar sua interdição, ficou fechada para carros por 24 horas, porém, sem atrações ao ar livre e com programação concentrada nos centros culturais, ficou vazia.

Apesar dos palcos principais se concentrarem no centro da cidade, os bairros também ficaram movimentados: Baco Exu do Blues se apresentou no Centro Cultural do Grajaú, extremo sul da cidade, na tarde de domingo, e reuniu 15 mil pessoas.

Na Cohab 2, na zona leste, o rapper Rincon Sapiência, que nasceu não muito longe dali -na Cohab 1- reuniu multidão na praça Brasil já no cair da madrugada de domingo.

Criolo empolgou o vale do Anhangabaú com 18 músicas em uma hora e 25 minutos de show. O músico priorizou raps dos seus três primeiros álbuns, mas escolheu fechar a noite com um samba à capela, "Menino Mimado", do álbum "Espiral de Ilusão".

O show foi marcado por manifestações políticas do público e dos artistas. Acompanhado do DJ Dandan e três outros músicos (todos vestindo branco), Criolo pediu apoio às manifestações de estudantes e professores contra o corte de verbas para a educação.

Já o impacto do show de Pabllo Vittar na Virada Cultural foi sentido já no primeiro passo que a cantora deu, pontualmente às 4h, no palco República da Diversidade, numa praça repleta de pessoas usando roupas e bandeiras com o símbolo LGBT que lembra as cores do arco-íris.

O refrão de "Problema Seu" foi berrado pelos fãs. E, logo antes do fim da apresentação, uma fã conseguiu subir ao palco. Os seguranças, que partiram para cima da moça, foram contidos pela cantora, que abraçou a fã.

Antes do show, a produção chegou a pedir para que os presentes dessem passos para trás, porque alguns já estavam sendo esmagados nas grades. O palco se mostrou pequeno demais para a artista, que dançou sem parar em seu look rosa chiclete de mangas bufantes.

Ao meio-dia, enquanto Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo se reuniam no Grande Encontro na avenida São João, Anitta se provou incansável, sem poupar as danças coordenadas e as reboladas que são sua marca, e que levam os fãs à loucura.

Os mais próximos ao palco não paravam de gritar elogios à cantora, que iam de "diva" e "maravilhosa" a comentários direcionados ao seu derrière.

A parte final da apresentação concentrou os momentos de maior animação, com "Vai Malandra", "Favela Chegou" e "Show das Poderosas".
Direto de São Paulo, Folhapress

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Enquete

Você está satisfeito (a) com a gestão do governador Mauro Mendes?

Você deve selecionar uma opção
+enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet