Cuiabá, terça-feira, 17/09/2019
12:26:10
informe o texto

Notícias / Política

22/05/2019 às 11:38

‘Ex-governador omitiu cerca de R$ 7 milhões em caixa dois’, diz delator

O total arrecadado foi R$ 34 milhões, entretanto, apenas R$ 27 milhões foi declarado.

Leiagora

‘Ex-governador omitiu cerca de R$ 7 milhões em caixa dois’, diz delator

Foto: Reprodução internet

 
O ex-governador Pedro Taques (PSDB) teria ocultado cerca de R$ 7 milhões na prestação de constas ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na eleição de 2014. A revelação foi feita pelo ex-secretário estadual de Educação, Permínio Pinto, em delação premiada ao Ministério Público Estadual (MPE).
 
O total arrecadado foi R$ 34 milhões, entretanto, apenas R$ 27 milhões foi declarado.
 
O empresário Alan Malouf, que pagou propina a secretários estaduais, como se fossem complementos de salário. No início de 2015, os salários dos secretários eram de pouco mais de R$ 20 mil, mas alguns recebiam valores bem mais elevados.
 
Um dos exemplos de pagamento de propina citados na delação foi de Paulo Brustolin, convidado para ser secretário de fazenda. “O Paulo foi disse que só saia da Unimed se fosse para ganhar mais. Ele pediu R$ 80 mil por mês e luvas no valor de 500 mil ”, afirmou Alan Malouf.
 
Para garantir a contratação de Bustolin, Alan e Marcelo Malouf, Juliano Bortoloto e Erivelton Gasques assumiram o pagamento. Ainda de acordo com a delação, os pagamentos eram feitos no escritório de Malouf.
 
“Eu ficava responsável por receber de três empresários e repassava ao Brustolin”, declarou.
Em depoimento, Alan Malouf também confirmou que, facilitar os negócios entre os empresários e o governo, pagava, todo mês, R$ 25 mil de propina para Júlio Modesto, então secretário de Gestão do governo.
 
Na defesa, Pedro Taques alegou que a relação que tinha com Alan Malouf era de uma amizade distante, um relacionamento apenas social. Essa declaração teria irritado o empresário, que garante que o ex-governador mentiu.
 
“Eles cuidavam da arrecadação de doações legais e também no caixa 2”, afirmou.
Essa declaração também coincide com o que foi revelado por Alan Malouf. Ele afirmou ainda que os empresários Erivelton Gasques e Júlio Modesto, atuavam como tesoureiro informais da campanha.
 
Segundo a delação, Eraí Maggi cuidou da captação de recursos com os empresários do agronegócio. E, Otaviano Pivetta seria o ordenador de despesas. (Informações do G1).

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Enquete

Você está satisfeito (a) com a gestão do governador Mauro Mendes?

Você deve selecionar uma opção
+enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet