Cuiabá, sexta-feira, 22/01/2021
20:52:03
informe o texto

Notícias / Judiciário

04/06/2019 às 14:50

Defesa de Arcanjo alega que ele está velho demais e não aguentaria cadeia novamente

Luana Valentim, Fernanda Leite, Luzia Araújo

Defesa de Arcanjo alega que ele está velho demais e não aguentaria cadeia novamente

Foto: Reprodução da internet

A defesa do ex-bicheiro, João Arcanjo Ribeiro, o advogado Zaid Arbid, disse nesta terça-feira (4), que seu cliente não conseguirá cumprir pena porque estaria muito velho e porque jamais cometeria os mesmos erros. 

João Arcanjo e mais 19 pessoas foram presos durante a deflagração da operação Mantus na última quarta-feira (29), por organização criminosa, lavagem de dinheiro, jogo do bicho, extorsão e sequestro.

“João Arcanjo estava com 50 e poucos quando foi preso e hoje, ele está com 68 anos. Será que ele aguenta mais essa?  Será que ele é mais uma peça de brinquedo por ser João Arcanjo Ribeiro? ”, questiona a defesa, alegando que ele jamais cometeria os mesmos erros do passado.

“Não creio, não procede. Depois de 14 anos recluso ele não voltaria a praticar aquilo que tirou a liberdade dele. Ele perdeu a sensibilidade do que é certo ou errado, mas a regra de conduta foi de bem viver. E o compromisso e comprometimento com a Justiça”, disse.

Arbid vai aguardar as investigações para provar a inocência de seu cliente. “Os fatos serão investigados da melhor forma e a verdade vai implodir essas acusações contra ele”, espera.

Quanto ao valor de R$ 197 mil encontrado pelos policiais da Delegacia Fazendária e Crimes Contra a Administração Pública (Defaz) e da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), a defesa alega que o dinheiro é declarado.

“Toda a origem é declarada. Esse valor que foi encontrado na casa dele é de recurso que ele tem, inclusive, declarado. João Arcanjo está com a morte civil decretada, pois não pode ter uma conta bancária, nem transação comercial. Então ele busca ter essa reseva em dinheiro, o que não é crime, desde que declare a origem no imposto de renda”, explicou.

Arbid relatou que o dinheiro se origina de créditos de o ex-bicheiro possui já que nem tudo está bloqueado e apreendido judicialmente, sobrando a ele algumas reservas de rendimento livre. Avaliando que as investigações deveriam considerar que nem tudo relacionado a João Arcanjo é mentira.

O advogado considerou que a operação Mantus é uma réplica da Arrego deflagrada em 2007, onde a polícia fez um terrível levantamento pintando o comendador como a pior pessoa, sendo transferido e ficando praticamente 12 anos fora de Cuiabá em presídio de segurança máxima e, no final, está operação foi implodida e João Arcanjo absolvido.

Completou ainda que seu cliente não é um imbecil e não iria ‘voar para traz’, mas sim para a liberdade dele. Ainda negou que João Arcanjo tenha envolvimento no jogo do bicho e que irá pedir pela soltura dele.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet