Cuiabá, terça-feira, 15/10/2019
05:42:25
informe o texto

Notícias / Região Araguaia

15/06/2019 às 16:06

​Ferrovia irá trazer economia e avanço para a região Araguaia - veja vídeo

O transporte ferroviário vem para somar e impulsionar o desenvolvimento social econômico do Vale do Araguaia

Luana Valentim

​Ferrovia irá trazer economia e avanço para a região Araguaia - veja vídeo

Foto: Divulgação

O prefeito de Água Boa, Mauro Rosa, o Maurão (PSD), e a vice-prefeita, Rejane Garcia (PSDB), receberam nessa sexta-feira (14), o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para falar sobre a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico), que prevê a construção de 1.600 quilômetros ligando Campinorte (GO) a Rondônia via Água Boa e outras cidades mato-grossenses.

Tarcísio participou pela manhã do evento “Diálogos Sobre Infraestrutura" em Rondonópolis, acompanhado do governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), dos senadores Wellington Fagundes (PR) e Jayme Campos (DEM), dos deputados federais José Medeiros (Podemos), Neio Geller (PP), Dr. Leonardo (SDD) e Valtenir Pereira (MDB), assim como os deputados estaduais Janaina Riva (MDB), Valmir Moretto (PRB), entre outros.

Depois todos seguiram para Água Boa juntando-se com cerca de 25 prefeitos convidados por Maurão, para a audiência pública convocada pela Assembleia Lagistaliva e pelo Senado. Também estiveram presentes diversas lideranças do agrogenócio.

O secretário de Administração, Luiz Pichetti, disse ao Leiagora que o ministro anunciou durante a audiência que, até o final desse ano, a previsão é que ele dê a ordem de serviço para iniciar a construção da Fico, que será interligada à Ferrovia Norte Sul, em Goiás (GO).

"A licença prévia em relação ao meio-ambiente já está concedida e a expectativa é que a licença de implantação da ferrovia saia até o final do ano e com ela a ordem de serviço. Os recursos para a construção dessa ferrovia, serão da prorrogação da concessão da ferrovia dos Carajás e da Minas Vitória. Os prazos delas serão ampliados para mais 10 anos", informou.

Pichetti disse que, após a Fico ser construída, passará para uma empresa de concessão interessada em explorar a região que planta hoje cerca de 2 milhões de hectáres de soja e a expectativa é que aumente para 5 milhões de hectáres em aproximadamente 10 anos.

O secretário destacou que a ferrovia dará para a região a opção do transporte multimodal, ou seja, um transporte feito das fazendas por rodovias - de terra ou asfalto - até os terminais de grãos. A partir daí, a soja será embarcada nos vagões via ferrovia, significando a redução do preço e de perdas no transporte.

"O transporte ferroviário é bem mais seguro e tem menos preço. Além disso, os insumos utilizados nas lavouras, principalmente os fertilizantes, também vêm pela ferrovia por menos custo. A questão de ampliação de área de soja, é porque a região está em uma fase de muita expansão, então as grandes propriedades estão trasnformando as pastagens em lavouras. Por isso, o Vale do Araguaia é considerado a última fronteira agrícola do Brasil", explicou.

Pichetti ressaltou que essa logística vem para somar e impulsionar o desenvolvimento social econômico do Vale do Araguaia. Em função disso, ocorre diversos avanços nos municípios, como Água Boa, que passará a ser cidade polo da região. Além dos avanços na educação, saúde e segurança.
 

Vídeo Relacionado

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Enquete

Como você acha que está a violência em Mato Grosso neste ano?

Você deve selecionar uma opção
Enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet