Cuiabá, segunda-feira, 22/07/2019
04:03:07
informe o texto

Notícias / Judiciário

17/06/2019 às 10:42

Comissão aprova PL que prevê proteção do idoso que se mantém no mercado de trabalho

Se o empregador descumprir alguma das normas, estará sujeito à multa, que varia de R$300 a R$3 mil

Maisa Martinelli

Comissão aprova PL que prevê proteção do idoso que se mantém no mercado de trabalho

Foto: dhojeinterior

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei (PL) 6685/09, proposta pelo Senado, que prevê normas para a proteção do idoso que continua trabalhando.

O projeto limita a oito horas diárias a carga de trabalho de empregados que possuem 60 anos ou mais. O limite somente poderá ser prorrogado em dois casos: por meio de acordo coletivo de trabalho, podendo estender até duas horas, desde que o tempo excedente de trabalho seja compensado no dia seguinte; ou em âmbito excepcional a jornada poderá ser de até 12 horas, quando a presença do trabalhador idoso seja imprescindível ao funcionamento da empresa – neste caso, o funcionário terá direito de receber aumento salarial de, no mínimo, 50% sobre o valor normal da hora.

A proposta prevê também que, caso o idoso trabalhe em alguma situação penosa, insalubre ou de periculosidade, a jornada de trabalha será diminuída em 30 minutos, sem que haja prejuízo ao adicional a que tem direito.

“Hoje, muitos idosos, mesmo aposentados, continuam a trabalhar, seja por satisfação pessoal, seja para a complementação de renda”, afirmou a relatora, a deputada Flávia Morais (PDT-GO), que deu parecer favorável à proposta, com emenda de redação.

Ainda conforme o PL, os empregadores deverão realizar, a cada seis meses, exames laboratoriais e testes de acuidade visual dos funcionários com idade superior a 60 anos. Além disso, a empresa deverá, obrigatoriamente, comunicar os empregados sobre o resultado dos exames.

O idoso também não poderá realizar trabalho que exija força muscular superior a 20 quilos, para o trabalho contínuo, ou a 25 quilos, em casos de trabalho ocasional.

Se o empregador descumprir alguma dessas normas, estará sujeito à multa, que varia de R$300 a R$3 mil.

O projeto foi aprovado pela Comissão de Seguridade Social e Família, e pela Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa. Agora o projeto segue para a análise da Comissão de Constituição e de Justiça e de Cidadania.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Roseli Santos 18/06/2019 às 00:00

    Estou desempregada a quase 2 anos tenho 52 anos e não sou aposentada e estou apta ao trabalho , mais a cidade q moro tem uma norma q e só até 40 anos q se contrata ,acho isto uma descriminação p quem quer continuar trabalhando morava antes em São Paulo e lá não existe isto

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet