Cuiabá, sexta-feira, 23/08/2019
23:22:28
informe o texto

Notícias / Judiciário

15/07/2019 às 16:21

Locatários inadimplentes são obrigados a pagar R$ 19 mil a dono de imóvel

Duas pessoas em Cuiabá tiveram o contrato rescindido pela Justiça por deixar de pagar os aluguéis e os IPTUs da casa alugada e ainda continuar morando no imóvel

Leiagora

Locatários inadimplentes são obrigados a pagar R$ 19 mil a dono de imóvel

Foto: Lopes

Duas pessoas em Cuiabá tiveram o contrato rescindido pela Justiça por deixar de pagar os aluguéis e os IPTUs da casa alugada e ainda continuar morando no imóvel. Eles foram condenados ao pagamento de R$ 19,4 mil ao dono da residência, valor que deverá ser acrescido de correção monetária e juros de mora de 1% ao mês. Eles também terão que pagar os aluguéis vencidos depois da propositura da ação até a desocupação do imóvel.
 
De acordo com o processo, estava estabelecido que a casa seria locada entre 13 de janeiro de 2016 e 12 de janeiro de 2017, pelo valor inicial de R$ 2,7 mil mensal. Entretanto, depois de vencido o prazo contratual, os réus permaneceram no imóvel prorrogando o contrato por prazo indeterminado.
 
Em janeiro de 2018, os locatários deixaram de pagar os aluguéis e ficou constatado que eles também não haviam pagado os IPTUs de 2016, 2017 e 2018. Em outubro de 2018, os réus retiraram seus pertences, abandonando o imóvel, e fizeram pagamento parcial de R$ 10 mil ao dono da casa ocupada, os quais deverão ser abatidos do total do débito.
 
Na defesa, os réus destacaram que não pagavam o valor devido alegando que a autora não ia até o imóvel para receber e que eles não são obrigados a procurá-la para efetuar o pagamento, ainda mais porque um deles é enfermo e não pode se locomover.
 
Entretanto, de acordo com a juíza Vandymara Zanolo, mesmo afirmando que fizeram o pagamento dos aluguéis e que um deles é enfermo, eles não comprovaram as alegações no decorrer da ação. Ela destacou ainda que havia muitas formas de contatar o dono do imóvel para realizar o pagamento, mas eles não utilizaram nenhuma.
 
“Com relação à cobrança dos aluguéis, os réus alegaram suposta entrega de cheque de terceiro, sem juntar qualquer documento comprobatório, sem sequer afirmar que tal cheque foi cobrado. Alegou o réu locatário estar enfermo, sem poder se locomover, sem juntar qualquer laudo médico comprobatório. Alegou que não pode ser-lhe imputada a mora porque a autora não foi até ele para receber, o que é absurdo, pois se quisesse quitar, existe telefone para contatar, depósitos e transferências que podem ser feitas por celular, enfim, não é necessário procurar pessoalmente a autora para efetuar o pagamento.”
Da assessoria, Keila Maressa/ TJMT

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet