Cuiabá, sexta-feira, 23/08/2019
22:28:25
informe o texto

Notícias / Política

16/07/2019 às 10:46

'Não pedimos o fim do prêmio-saúde para os servidores', diz Wellaton - Vídeo

O vereador afirmou que apenas apresentou uma denúncia, junto com seus colegas de oposição, ao TCE contra Possas por ter recebido mais de R$ 30 mil de um prêmio-saúde

Luana Valentim

'Não pedimos o fim do prêmio-saúde para os servidores', diz Wellaton - Vídeo

Foto: Reprodução da internet

O vereador de Cuiabá, Felipe Wellaton (PV), afirmou que nunca pediu que o prêmio-saúde dos servidores fosse suspenso, apenas apresentou uma denúncia, junto com seus colegas de oposição, ao Tribunal de Contas do Estado contra o secretário Municipal de Saúde, Antônio Possas, por ter recebido mais de R$ 30 mil de um prêmio-saúde que ele criou para si mesmo, sem a aprovação da Câmara de Cuiabá.
 
Em abril, Possas criou, por meio da Portaria de nº 006/2019 – o prêmio-saúde, que seria um bônus de R$ 7.800 mensais ao próprio salário. Diante disso, os vereadores da oposição acionaram o TCE para anular a regalia.
 
Saiba Mais: Secretário de Saúde inclui ‘bônus’ de R$ 7.800 mil no próprio salário
 
Conforme o vereador Marcelo Bussiki (PSB), a Portaria tem efeito retroativo ao mês de dezembro. “Então ele pegou R$ 31.200 mil. É um absurdo, enquanto os hospitais estão precisando de insumos, como luvas, falta de médicos, medicamentos e outros. A saúde está um caos".
 
Felipe relata que esse prêmio de R$ 7 mil mensais para o secretário era tão ilegal que ele mesmo reconheceu e o suspendeu.
 
 “Mas nós NUNCA pedimos que o prêmio-saúde dos servidores fosse suspenso e o TCE pediu informações por duas vezes à Prefeitura sobre esse valor pago por força de Lei desde 2003. O que a Prefeitura fez? Não respondeu e o TCE suspendeu o seu pagamento aos servidores”, disse.
 
O parlamentar destacou que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) usou da má-fé e foi à imprensa mentir que a suspensão do prêmio-saúde dos servidores era culpa dos vereadores de oposição, mesmo sabendo que a decisão foi motivada, exclusivamente, por Possas não ter respondido as notificações.
 
“O que fizemos? Não entramos no jogo desse prefeito mentiroso e ainda na sexta-feira (12), protocolamos no TCE os esclarecimentos sobre a legalidade do prêmio-saúde dos servidores. Ainda pedimos a liberação do pagamento. Enquanto o prefeito os engana, fomos nós que os defendemos”, pontuou.

Vídeo Relacionado

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet