Cuiabá, sábado, 17/08/2019
16:56:19
informe o texto

Notícias / Política MT

20/07/2019 às 11:13

Emenda ao PLC 53 visa corrigir distorções com relação da energia solar gerada na unidade consumidora

Este tipo de fornecimento traz benefícios em relação às esferas socioeconômica, ambiental e estratégica.

Leiagora

Emenda ao PLC 53 visa corrigir distorções com relação da energia solar gerada na unidade consumidora

Foto: JLSiqueira

Em sessão ordinária na última quinta-feira (18), o deputado estadual  Paulo Araújo  (PP) propôs uma emenda  ao Projeto de Lei Complementar Nº 53/2019 - de autoria do Poder Executivo, alterando o paragrafo 2º do art. 36 da Lei Complementar nº 53/2019, para que passe a vigorar com a seguinte redação "A fruição da isenção  prevista no inciso III, do caput  deste artigo, fica assegurada até dia 31 de dezembro". 

O parlamentar justificou que a alteração vai corrigir uma distorção com relação à energia solar gerada na unidade consumidora, ao reiterar que  este tipo de fornecimento traz benefícios em relação às esferas socioeconômica, ambiental e estratégica.  

Conforme a matéria, a Lei Complementar 53/2019 trata sobre  a remissão e anistia de créditos tributários, relativos ao ICMS, e sobre a reinstituição e revogação de benefícios fiscais, nos termos da Lei Complementar Federal nº 160/2017 e do Convênio ICMS 190/2017, nas hipóteses e condições que especifica, bem como sobre alterações de benefícios fiscais relativos ao ICMS; altera as Leis nº 7.098, de 30 de dezembro de 1998, e nº 7.958, de 25 de setembro de 2003, e as Leis Complementares nº 132, de 22 de julho de 2003, e nº 614, de 05 de fevereiro de 2019, e dá outras providências.

Conforme Paulo Araújo a proposta que ele apresenta destaca os benefícios da energia solar na esfera socioeconômica, “posso destacar: que caso essa lei complementar seja aprovado teremos: redução dos gastos com energia elétrica; atração de novos investimentos privados na área; geração de novos empregos; desenvolvimento de nova cadeia produtiva; aquecimento das economias nos municípios de Mato Grosso”, concluiu o deputado.

Dentre as vantagens na esfera ambiental, conforme justificou o parlamentar, destaca: a geração de energia limpa, renovável e sustentável; contribui para as metas de redução de emissões do país e estado, não gera ruídos e não possui partes moveis.

Na esfera estratégica os benefícios da energia solar acontecem com a diversificação da matriz energética mato-grossense e consequentemente do Brasil como um todo; a ampliação do uso de energias renováveis e a redução de perdas por transmissão e distribuição.
Direto da assessoria, Adriane Rangel

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet