Cuiabá, segunda-feira, 16/12/2019
09:41:13
informe o texto

Notícias / Geral

07/08/2019 às 14:58

Instituição que atende autistas de Rondonópolis recebe visita do deputado Claudinei

Associação carece de recursos financeiros para um atendimento adequado ao público, que lá recebe tratamento

Leiagora

Instituição que atende autistas de Rondonópolis recebe visita do deputado Claudinei

Foto: Assessoria

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) visitou a sede da Associação Rondonopolitana de Pessoas com Transtorno Autista (Arpta), nesta terça-feira (06), para conhecer o trabalho desenvolvido pela instituição e avaliar as reivindicações dos representantes que apontaram a falta de recursos financeiros para que o atendimento esteja totalmente adequado ao público. 

De acordo com a presidente da Arpta, Rosemary Piovesan, o trabalho desenvolvido pela instituição é voltado para crianças autistas como, também, aos familiares. Ela avalia a importância da inclusão delas na sociedade. “A gente quer ajudar essas famílias dando suporte para melhorar a qualidade de vida delas, resgatar as crianças e os pais que estão longe da sociedade. Essa inclusão tem que existir em ambas as partes, tanto na parte da educação e saúde, como o de capacitar e qualificar os profissionais envolvidos para dar um atendimento melhor para este público”, destaca.

Rosemary esclarece que o autismo é um assunto discutido a nível mundial. Mas, avalia que as divulgações sobre o tema é que o número de crianças autistas aumenta a cada dia e varia de lugar para lugar. “Em Mato Grosso está tendo um índice muito grande de diagnóstico com crianças autistas. Está bem alarmante e preocupante e, hoje, tem como a gente cortar o mal pela raiz. Se vai conseguir resolver o problema, não. Na minha visão, se a gente conseguir amenizar este problema, vai diminuir bastante o custo operacional para o governo”, posiciona. 

Reivindicação – A Arpta atende somente a população de Rondonópolis. A instituição é mantida com a ajuda financeira das famílias que estão vinculadas com a associação. Uma das propostas feitas por Rosemary seria futuramente construir uma clínica escola para atender este público especial. “Atualmente, estamos em um espaço amplo e cedido para realizarmos o atendimento. Conseguimos o espaço, não pagamos o aluguel, somente as despesas. Os móveis e equipamentos foram adquiridos por terceiros e a Internet é de graça”, conta Rosemary.

Na oportunidade, Delegado Claudinei recebeu em mãos o projeto “Parceria para Captação de Recursos e Manutenção de um Colaborador Integral na Sede” para contratação de profissional para atender a instituição por 12 meses. “Foi entregue este projeto para a contratação de um colaborador que ficará em horário comercial na associação para o atendimento ao público. O objetivo é fazer um trabalho de apoio e excelência e precisam da ajuda de parceiros. A despesa mensal do funcionário seria em torno de R$ 2 mil reais”, comenta o parlamentar.

O deputado se comprometeu a levar as demandas para a Assembleia Legislativa de Mato Grosso, verificar as proposições de outros parlamentares que contam com projetos voltados para o público autista. “Realmente, vejo que este tipo de atendimento especial, não pode depender somente do poder público, depende muito da sociedade e as famílias têm ajudado de forma financeira para não fechar a associação. Não tem como não sensibilizar com essa situação, pois é uma questão social que precisa de atenção”, salienta Claudinei.

Censo 2020 – Em Rondonópolis ainda não há um estudo para apontar a quantidade de crianças autistas, mas por meio de pesquisa feita nas escolas de nível municipal e estadual e aquelas já assistidas pela Arpta, são em média 600 pessoas diagnosticadas no munícipio, explica a presidente da instituição. “Não tem um estudo, mas tem uma média. A gente sabe que na rede municipal e estadual tem cerca de 400 e tem famílias que ainda não tem o diagnóstico exato”, enfatiza Rosemary. 

A lei de n.º 13.861/2019 que inclui dados específicos sobre autismo no Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi aprovada pela Câmara dos Deputados. Logo, o presidente da República, Jair Bolsonaro, no dia 18 de julho deste ano, por reconhecer a importância do tema, sancionou a lei que obriga a inclusão nos censos demográficos já que não existem dados oficiais sobre pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Brasil. 

 
Com informações da assessoria de imprensa 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet