Cuiabá, sábado, 17/08/2019
11:21:30
informe o texto

Notícias / Polícia

13/08/2019 às 15:20

Servidor da Casa Civil que furtava celulares é preso

A.S.G. de 33 anos, o qual tinha a função de serviços gerais. O suspeito era comissionado DGA-5, desde o ano de 2004, e confessou o crime.

Leiagora

Servidor da Casa Civil que furtava celulares é preso

Foto: Assessoria

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá, cumpriu na manhã desta terça-feira (13.08) mandados de busca e apreensão domiciliar, com objetivo de apreender aparelhos celulares funcionais subtraídos da Casa Civil do Governo do Estado de Mato Grosso.

Leia mais: Operação da Polícia Civil investiga furto de celulares da Casa Civil

Segundo o delegado que coordenou a operação, André Luís Prado Monteiro da Silva, onze pessoas foram alvos da ação deflagrada pela Derf Cuiabá. No total, dezessete pessoas foram conduzidas e nove aparelhos celulares foram recuperados.

Os aparelhos foram furtados, no mês da abril deste ano, ocasião em que foram subtraídos 18 telefones móveis que ficavam acondicionados dentro de um armário da repartição pública, todos novos e nas devidas caixas.

Inicialmente o crime foi apurado como peculato pela Delegacia Fazendária, sendo posteriormente encaminhado à Derf Cuiabá, em razão dos indícios da prática de furto por terceiros.

Conforme investigação, o crime foi praticado por servidor da Casa Civil, A.S.G. de 33 anos, o qual tinha a função de serviços gerais. O suspeito era comissionado DGA-5, desde o ano de 2004, e confessou o crime. Os aparelhos foram vendidos por A.S.G. para diferentes pessoas, tendo algumas delas, adquirindo de boa fé.

No decorrer das diligências, foram identificados dois receptadores contumazes, sendo um, inclusive, proprietário de uma loja de conserto, compra e venda de aparelhos celulares localizado no bairro Cristo Rey, em Várzea Grande.

Ainda na condição de ter cometido o delito por ser servidor público, o suspeito será indiciado pela prática de peculato, podendo ser condenado de 02 a 12 anos de reclusão.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet