Cuiabá, terça-feira, 21/01/2020
02:27:38
informe o texto

Notícias / Política

30/08/2019 às 07:40

CPI entra na justiça para ter acesso à delação de empresário na Ararath

Delação de empresário atingiu Blairo Maggi, Silval Barbosa e outras autoridades

Fernanda Leite

CPI entra na justiça para ter acesso à delação de empresário na Ararath

Foto: Chico Ferreira / A Gazeta

A CPI da Renúncia e Sonegação Fiscal vai entrar na justiça para ter acesso à delação premiada do empresário Gércio Marcelino Mendonça Júnior, o Júnior Mendonça, realizada em 2014, na Polícia Federal (PF). A colaboração contribuiu para deflagrar diversas fases da Operação Ararath, que que apura um suposto esquema de fraude e lavagem de dinheiro ocorrido em Mato Grosso.

 O empresário foi ouvido nessa quinta-feira (29), na Comissão da Renúncia Fiscal e Sonegação, na condição de testemunha. O presidente da CPI, deputado Wilson Santos (PSDB), disse que havia solicitado ao empresário que disponibilizasse à delação, mas por orientação de advogados, acabou recusando.

“Vamos analisar os autos e ver o que pode aproveitar. Não tenho noção se esta colaboração poderá contribuir, já que ele não é cliente de benefícios fiscais e na delação ele não tratou deste tema, combustíveis. Como ele [Mendonça] mesmo disse, estava iniciando no ramo, na mesma época da delação. Mas caso o judiciário disponibilize, vamos avaliar o que é útil. Vamos requerer mesmo acreditando na palavra dele. Até porque, após a delação, o empresário não pode faltar com a verdade”, avisou o presidente da Comissão.

O advogado Mauricio Audi tentou justificar: “quanto a autorizar a delação que seja compartilhada, não há possibilidade, não por má vontade, nem por tentativa de impedir sem fundamento, mas pelo fato de tramitar em segredo de justiça. Nem a testemunha tem como delator autoridade e legitimidade de liberar esses documentos. Então, terá que solicitar a Justiça Federal para compartilhar”, justificou.

O procurador da Assembleia Legislativa, Bruno Leite, lembrou que na jurisprudência e doutrina do Supremo Tribunal Federal (STF), às CPIs têm o poder de requisitar informações e junto com esse poder, tem o dever de preservar o sigilo. “Há uma transferência de sigilo e nada impede que aquelas informações que contém sigilo que são estranhas ao objeto da CPI sejam segregadas”, defendeu.

Delação Ararath 

O empresário Júnior Mendonça ficou famoso após ter feito uma delação premiada em 2014, que deflagrou  várias fases da Operação Ararath, da Polícia Federal.

O depoimento do empresário atingiu diversas autoridades em Mato Grosso, inclusive o ex-ministro da Agricultura e ex-senador Blairo Maggi (PP), ex-governador Silval Barbosa, deputados estaduais e outras autoridades.

Consta na  denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR), que o empresário atuava com ‘bancos clandestinos’ ou factoring para emprestar dinheiro e financiar campanhas para políticos e recebia os pagamentos com dinheiro público supostamente desviados.

Na denúncia consta que Mendonça teria 'financiado' a compra da vaga de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado (TCE), para o ex-deputado estadual Ségio Ricardo. Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), a investigação começou em 2008, quando Blairo Maggi aida era governador do Estado, Silval Barbosa vice-governador e Eder Moraes (Fazenda).

Dos R$ 12 milhões que teria custado à vaga, R$ 4 milhões teria sido de um empréstimo com  Mendonça. A vaga teria sido comprada pertenceu ao ex-conselheiro Alencar Soares. O ex-secretário de Fazenda é quem teria operado o esquema com aval e conhecimento de Maggi e Silval. Sérgio Ricardo tomou posse no TCE como conselheiro em maio de 2012. E foi afastado em janeiro  de 2017. 

Vídeo Relacionado

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet