Cuiabá, segunda-feira, 16/09/2019
22:22:47
informe o texto

Notícias / Política

09/09/2019 às 09:01

MT deve ter presídio para condenados de facções criminosas

Caso o projeto saia do papel, serão mais 200 vagas com Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), que inclui maior grau de isolamento e restrições de contato com o mundo exterior.

Fernanda Leite

MT deve ter presídio para condenados de facções criminosas

Foto: Assessoria

Mato Grosso poderá ter um presídio especifico para presos condenados que são ligados a alguma facção criminosa. A informação é do deputado estadual João Batista (Pros). O espaço avaliado para a penitenciária está localizado ao lado da Penitenciária Central do Estado (PCE), bairro Pascoal Ramos, em Cuiabá.

A ideia do projeto, segundo o parlamentar, é isolar os criminosos ‘novatos’ dos antigos. “Os presos que são líderes de facções dominam os demais presos. Os mais novos que cometem crime pela primeira vez, por exemplo, e querem sair do mundo crime, não podem porque passam a dever favores as facções. Cobram proteção, que dão a eles nos presídios, colchão, mesmo sendo o Estado que compra. Cuida dos familiares dos presos e assim não conseguem deixar o crime. Temos que afastá-los”, explica o parlamentar.

Caso o projeto saia do papel, serão mais 200 vagas com Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), que inclui maior grau de isolamento e restrições de contato com o mundo exterior. O RDD é a espécie mais drástica de sanção disciplinar, restringindo, como nenhuma outra, a liberdade de locomoção do preso e alguns dos seus direitos.
 
"Presos não vivem mal, se vivessem, não retornavam para os presídios"

 Para o parlamentar, que é ex-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado (Sindspen), os presos em Mato Grosso não vivem mal. “Se vivessem, não retornavam aos presídios”, disse.

O deputado alega defender que presos devem trabalhar para cobrir os gastos que o Estado têm com eles. Ele aconselha ainda, que deve-se parar de construir puxadinhos e construir verdadeiras unidades prisionais.

“Defendo presídios com qualidade, mas não com ar-condicionado, camas king sizes e outras regalias. A lei de execução penal, diz que o preso tem direito ao sistema laboral, educacional, religiosa e outros. Então, tem que existir espaço anexo as unidades prisionais para que eles trabalhem e, assim, é possível que o gasto com o preso seja retirado da mão de obra deles. Os índices de violência cai e reduz o índice de reincidência”, avaliou.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Enquete

Você está satisfeito (a) com a gestão do governador Mauro Mendes?

Você deve selecionar uma opção
+enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet