Cuiabá, segunda-feira, 16/09/2019
22:25:21
informe o texto

Notícias / Política

07/09/2019 às 15:28

Estado alega já ter pago parte da dívida com Cuiabá e débito é de R$ 39 milhões

Emanuel Pinheiro alega que a dívida é de R$ 60 milhões e ameça ir à justiça para receber o dinheiro.

Alline Marques

Estado alega já ter pago parte da dívida com Cuiabá e débito é de R$ 39 milhões

Foto: Christiano Antonucci

O governo do Estado negou que a dívida com a Prefeitura de Cuiabá seja de R$ 60 milhões. O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, alega que parte da dívida já foi paga e o montante do débito atual é de R$ 39 milhões. 

Nos últimos dias, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) cobrou efetivamente a dívida. A administração municipal, por meio da Procuradoria Geral, chegou a notificar a pasta da Saúde extrajudicialmente e o medebista disse que deve recorrer à justiça para receber o valor de R$ 60 milhões. 

O debito é uma herança do governo Pedro Taques (PSDB) deixada atual gestão. De acordo com informações da SES-MT, a dívida total era de R$ 63.573.354,56, referentes aos anos de 2016, 2017 e 2018. Porém, o secretário esclareceu que o Estado está realizando repasses e que parte da dívida já foi paga, restando, aproximadamente, R$ 39 milhões do passivo.

Por outro lado, o governo ressaltar que os repasses de 2019 estão em dia já tendo sido repassado R$ 75.767.019,60 à Prefeitura de Cuiabá neste ano. O próprio prefeito chegou a confirmar que não houve atrasos da atual gestão estadual, mas reclamou da falta de diálogo com a pasta para dar ao menos um prazo para recebimento do débito. 

O valor em atraso seria para o Hospital Municipal de Cuiabá, porém, Pinheiro alegou ter usado recursos da fonte 100 do Município para poder inaugurar o novo pronto-socorro que estará com 100% da capacidade em funcionamento no dia 30 de setembro, conforme prometeu o chefe do Executivo municipal. 


0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Enquete

Você está satisfeito (a) com a gestão do governador Mauro Mendes?

Você deve selecionar uma opção
+enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet