Cuiabá, domingo, 22/09/2019
14:23:07
informe o texto

Notícias / Política

11/09/2019 às 13:57

Pinheiro pretende ir à Justiça para receber R$ 56 mi do Estado

O prefeito insiste em um diálogo pedindo que o Estado apresente uma proposta

Luana Valentim

Pinheiro pretende ir à Justiça para receber R$ 56 mi do Estado

Foto: Reprodução da internet

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), disse nessa terça-feira (10), que travou uma guerra aberta com relação a falta de medicamentos e insumos nas unidades básicas, secundárias e terciárias na área da Saúde. A declaração foi durante uma coletiva de imprensa.

Pinheiro destacou que diminuiu bastante o número de reclamações e denúncias, afirmando que a tolerância é zero para a falta de insumos na rede. “Sei que já andamos muito, mas ainda temos muito que avançar. Estamos longe do ideal. Estamos melhorando, avançando, humanizando porque estamos dedicados, totalmente determinados a mudar a saúde pública e pensar, talvez pela primeira vez na história de Cuiabá, no mais humilde e pobrezinho”, pontuou.

O prefeito disse que reconhece a dívida com o Hospital Geral Universitário, afirmando que gostaria que houvesse reciprocidade. Ainda ressaltou que é por este motivo que está acionando o Estado pela dívida com Cuiabá de R$ 56 milhões.

Pinheiro fez um apelo dizendo que não gostaria de judicializar, mas avalia que esse dinheiro não pertence a ele e sim a saúde pública da população cuiabana que acaba atendendo a todo o Estado. “Não posso deixar de cobrar, o Estado não respondeu a notificação. Vou ter que ajuizar. Terei que dar um jeito na situação do Hospital Geral, não o deixarei parar. Só que essa é a realidade, são quase R$ 60 milhões de débitos”, explicou.

O emedebista salientou que a falta desse repasse acaba por sacrificar a saúde pública de Cuiabá. Afirmando que não irá parar de investir, mas pontua que há necessidade de haver uma sensibilidade maior do Estado.

Pinheiro disse que orientou o secretário Municipal de Saúde, Luiz Antônio Possas de Carvalho, para que insista no diálogo com o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, no sentido de ele fazer uma proposta de parcelamento da dívida.

“Vinte de três milhões, ou quinze de dois milhões. Chegue a um acordo, mas precisamos juntos nos unir para resolver essa situação para avançar e ter uma saúde pública digna e humanizada em Cuiabá, que atende a todo o Estado”, frisou.

O prefeito ressaltou que não tem interesse em instalar uma crise política com o governador, mas ‘mexeu com Cuiabá, mexeu comigo’.

Saiba Mais: Estado alega já ter pago parte da dívida com Cuiabá e débito é de R$ 39 milhões

Ele ainda fez uma proposta a Figueiredo que reiterou por diversas vezes que a dívida com o município é de apenas R$ 39 milhões. “Faça o seguinte, pague esse valor e a minha equipe senta na mesa de negociação para ver essa diferença. Se o Estado estiver certo, não tem problemas, não quero cobrar aquilo que ele não deve a saúde pública cuiabana. Mas não vou perdoar um centavo do Estado e da União que é devido a saúde cuiabana. Se for parcelado eu aceito, será tudo investido para melhorar a saúde pública cuiabana. O que não pode é não pagar e fingir que a dívida não existe”.

Vídeo Relacionado

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Enquete

Você está satisfeito (a) com a gestão do governador Mauro Mendes?

Você deve selecionar uma opção
+enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet