Cuiabá, sábado, 19/10/2019
06:47:56
informe o texto

Notícias / Judiciário

18/09/2019 às 17:35

Nova delação e interceptações telefônicas faz MPF defender afastamento de conselheiros

O advogado e empresário Micael Heber Mateus em delação premiada teria reforçado a hipótese de crime cometido pelos conselheiros.

Alline Marques

Nova delação e interceptações telefônicas faz MPF defender afastamento de conselheiros

Foto: Assessoria TCE-MT

Uma nova delação no processo que resultou no afastamento dos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e interceptações telefônicas reforçaram as declarações dadas pelo ex-governador Silval Barbosa e o ex-secretrário Pedro Nadaf. Com isto, o vice-procurador Geral da República, Luciano Mariz Maia, emitiu parecer para que os conselheiros permaneçam fora dos cargos. 

O advogado e empresário Micael Heber Mateus em delação premiada teria reforçado a hipótese de crime cometido pelos conselheiros. Ele é investigado num esquema de fraude milionária no processo de recuperação judicial da Usina Jaciara S/A e da Usina Pantanal de Açúcar e Álcool Ltda. Ele e o irmão são sócios da Porto Seguro Negócios Imobiliários S.A e são investigados por crimes falimentares e contra a ordem tributária. 

O afastamento de Antonio Joaquim, José Carlos Novelli, Valter Albano, Waldir Teis e Sérgio Ricardo completou dois anos no dia 14 de setembro. Eles tentam retornar aos cargos e ingressaram com agravos para reverter a decisão do ministro Luiz Fux do Supremo Tribunal Federal (STF). Sendo assim, o vice-procurador se manifestou no recurso sob relatoria do ministro Raúl Araújo. 

"Informo, por fim, que os elementos de informação agregados aos autos desde o afastamento dos conselheiros são aqueles que constam do Inquérito 1194, dentre os quais os elementos obtidos a partir da colaboração premiada firmada entre o Ministério Público Federal e Micael Heber Mateus e aqueles obtidos com o afastamento do sigilo telefônico decretado nos autos do Inquérito 1194, os quais reforçam a hipótese criminal ao corroborarem parte das declarações dos colaboradores Pedro Nadaf e Silval Barbosa", diz trecho do parecer.

Entenda o caso 

O afastamento dos conselheiros ocorreu devido à delação do ex-governador Silval Barbosa que revelou o pagamento de R$ 53 milhões em propina para garantir a aprovação das contas e o andamento das obras da Copa do Mundo e do programa de asfaltamento MT Integrado.

José Carlos Novelli, Waldir Júlio Teis, Antônio Joaquim, Walter Albano da Silva e Sérgio Ricardo de Almeida são investigados por supostos crimes de corrupção passiva, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e organização criminosa no âmbito da operação Ararath. 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Enquete

Como você acha que está a violência em Mato Grosso neste ano?

Você deve selecionar uma opção
Enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet