Cuiabá, sábado, 19/10/2019
06:59:33
informe o texto

Notícias / Política

20/09/2019 às 11:11

‘Depoimento improdutivo e vazio’, critica Dilmar sobre fala de Funaro

O doleiro foi ouvido nessa quinta-feira (19), na CPI da Sonegação Fiscal

Fernanda Leite

‘Depoimento improdutivo e vazio’, critica Dilmar sobre fala de Funaro

Foto: Assessoria

Deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM), membro da Comissão Parlamentar de Inquérito da Renúncia e Sonegação Fiscal, e um dos autores do pedido para que o depoimento do doleiro Lúcio Funaro fosse à porta fechada avaliou a oitiva como ‘vazia’ e ‘improdutivo’.

Leia mais: Delator fala pouco em CPI e não cita nomes de políticos

“Não falou nada com nada. Não tem prova de qualquer coisa, e dizia apenas que ‘ficou sabendo’ que os incentivos fiscais em Mato Grosso eram liberados de forma diferentes para as empresas. Neste caso, o conselho é quem delibera quem recebe. Ele não sabe de nada”, criticou.

O democrata disse que o parecer orientativo da Procuradoria do Parlamento quis apenas ‘proteger a delação premiada do doleiro’.

“A Procuradoria deu duas opções, a primeira foi a suspensão por prudência do depoimento por causa da segurança jurídica e a segunda, uma sessão reservada”, contou.

Dilmar não sabe se as demais oitivas serão à porta fechada, mas ele adianta: “caso necessário a Procuradoria da Casa ou os demais membros da CPI solicitarão”, contou.

Funaro ficou conhecido após ser preso na Operação Lava Jato acusado de ser o operador do ex-deputado Eduardo Cunha (RJ) em esquemas de corrupção e de lavagem de dinheiro. Em depoimento à CPI do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social   (BNDES) na Câmara dos Deputados declarou que Joesley, fraudou pagamentos de ICMS em Mato Grosso. O esquema teria ligações com o pagamento de propina a políticos no estado.

O doleiro afirma que Joesley teria poupado o primo mato-grossense Fernando Mendonça em sua delação.

Oitiva fechada

A decisão de uma sessão fechada  foi tomada pela maioria dos membros da comissão. Votaram pela oitiva secreta a deputada Janaína Riva (MDB), acompanhada pelos pares Dilmar Dal Bosco (DEM) e Ondanir Bortolini “Nininho” (PSD). Santos foi voto vencido.

Os parlamentares resolveram acatar recomendação posta em parecer exarado pela Procuradoria-Geral da Casa, que foi representada na reunião pelo procurador-geral adjunto Ricardo Riva e pelo também procurador Carlos Dornellas.
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Enquete

Como você acha que está a violência em Mato Grosso neste ano?

Você deve selecionar uma opção
Enquetes
 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet