Cuiabá, sexta-feira, 25/09/2020
23:26:49
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

23/09/2019 às 08:24

Rebanho suíno totalizou 41,4 milhões de animais em 2018, revela IBGE

De todo o rebanho, havia 4,8 milhões de matrizes de suínos, o equivalente a 11,6% do efetivo total de animais

Leiagora

Rebanho suíno totalizou 41,4 milhões de animais em 2018, revela IBGE

Foto: Reprodução

Os produtores brasileiros criavam 41,4 milhões de suínos em 2018, aumento de 0,1% em relação ao ano anterior, segundo o levantamento Produção da Pecuária Municipal, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A região Sul detinha 49,7% do rebanho: Santa Catarina era responsável por 19,2% do total nacional; o Paraná, 16,6%; e o Rio Grande do Sul, 13,8%.

Entre os municípios, os maiores produtores foram Toledo (PR), Rio Verde (GO) e Uberlândia (MG).
De todo o rebanho, havia 4,8 milhões de matrizes de suínos, o equivalente a 11,6% do efetivo total de animais, 1,5% a mais do que o registrado em 2017.

Os criadores também aumentaram seus rebanhos de ovinos (alta de 1,8% ante 2017, para um total de 18,9 milhões de animais) e de caprinos (aumento de 4,3%, alcançando 10,7 milhões de animais) em 2018. O Nordeste concentrou 93,9% dos caprinos existentes no Brasil no ano passado, além de 66,7% do total de ovinos.

A Bahia detinha 30,2% do rebanho nacional de caprinos e 22,1% do rebanho ovino do País.

Dos 20 municípios com o maior número de caprinos, nove pertenciam à Bahia e 11 a Pernambuco. Os municípios de Casa Nova (BA), Petrolina (PE), Juazeiro (BA) e Curaçá (BA) lideraram o ranking de maiores rebanhos.

No caso dos ovinos, o município de Casa Nova (BA) também tinha a maior criação de animais, seguido por Santana do Livramento (RS), Juazeiro (BA), Remanso (BA) e Dormentes (PE).

O rebanho de equinos somou 5,7 milhões de cabeças em 2018, enquanto o de bubalinos totalizou 1,4 milhões de animais.

O País produziu 8,7 mil toneladas de lã no ano passado e 3,0 mil toneladas de casulos de bicho-da-seda.

A produção de mel alcançou 42,3 mil toneladas, um aumento de 1,6%, totalizando um valor da produção de R$ 502,8 milhões, 2,2% a menos que no ano anterior.

A região Sul manteve a liderança na produção de mel, responsável por 38,9% do total nacional. O Rio Grande do Sul produziu 15,2% de todo o mel brasileiro; o Paraná, 14,9%; o Piauí, 12,3%; São Paulo, 9,8%; e Minas Gerais, 9,6%.

Os municípios de Ortigueira (PR), Botucatu (SP) e Itatinga (SP) lideraram o ranking de produção de mel.
Direto do Rio Janeiro, Daniela Amorim, Estadão Conteúdo

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet