Cuiabá, quarta-feira, 29/01/2020
12:54:55
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

24/09/2019 às 08:41

Governador cobra ações objetivas para proteger florestas e defende agronegócio de MT

Mauro Mendes cobrou mais comprometimento com as compensações financeiras

Leiagora

Governador cobra ações objetivas para proteger florestas e defende agronegócio de MT

Foto: Reprodução

O governador Mauro Mendes defendeu, nessa segunda-feira (23.09), em Nova Iorque, que o mundo precisa agir de forma mais objetiva na proteção das florestas tropicais, a exemplo da região amazônica.

Em apresentação na Rainforest Alliance, Mendes destacou a importância das parcerias entre governos, sociedade civil e empresas para o desenvolvimento sustentável.

O chefe do Executivo cobrou um maior comprometimento e efetividade, com compensações financeiras, para a manutenção dos ativos ambientais do Estado. Ele destacou que, atualmente, o estado tem 1 milhão de toneladas de crédito de carbono para ser comercializado com o mundo.

Mato Grosso mantém uma parceria com o programa REM, no qual apenas 2% do que é reduzido do desmatamento é contabilizado em redução de emissões, que é financeiramente compensado.

“É importante saber o papel que as florestas têm e agirmos de maneira mais objetiva para  fazer a sua proteção. Nos últimos 10 anos, aquilo que nós recebemos pelos ativos ambientais que nós temos é muito aquém do esforço que nós estamos fazendo. E, acima de tudo, muito aquém do que ainda podemos fazer recuperando muitas áreas que no passado foram devastadas”, destacou.

O governador fez questão de ponderar que o Estado tem 63% da sua extensão territorial preservada. De acordo com Mendes, a legislação brasileira é uma das mais severas do mundo e só permite que novas áreas sejam abertas quando são observadas todas as normas legais.

Mauro Mendes destacou que mesmo nas áreas permitidas há produtores e proprietários de terras que estão dispostos a abrir mão do espaço permitido para desmatamento, desde que sejam compensados por isso.

“Mas, para isso, é necessário que sejam criados mecanismos de compensação, porque no discurso existem muitas pessoas falando sobre isso no mundo inteiro. O que queremos fazer, como cidadãos de um país, cidadãos do mundo, é compartilhar esse esforço com muitas pessoas ao redor de todo o planeta”.

“Estamos em Mato Grosso fazendo aquilo que muitos estão cobrando e muitas regiões do planeta não estão fazendo”, acrescentou.

O governador citou como exemplo o não cumprimento pelo mundo da conversão dos combustíveis fosseis, uma vez que só a preservação das florestas, para ele, “talvez não seja suficiente para que nós possamos atingir os nossos objetivos”. 

“Mas a grande contribuição que nós podemos dar ao planeta é preservar os nossos ativos ambientais. Faremos a nossa parte e queremos que os senhores e muitas pessoas ao redor do mundo também o façam”, destacou.

Direto da redação, 
Laice Souza | Secom-MT

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet