Cuiabá, quarta-feira, 13/11/2019
13:52:47
informe o texto

Notícias / Judiciário

15/10/2019 às 15:33

TJ determina imediata nomeação de aprovada em concurso do Detran-MT

O entendimento do magistrado é que a Administração Pública não pode suspender prazo de validade de concurso, conforme previsto na Constituição Federal.

Maisa Martinelli

TJ determina imediata nomeação de aprovada em concurso do Detran-MT

Foto: Reprodução internet

O desembargador Luiz Carlos da Costa, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), determinou a imediata nomeação de candidata aprovada em concurso público do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT). A decisão, proferida nesta segunda-feira (14), deu o prazo de 10 dias para que o governador Mauro Mendes proceda a nomeação.

O entendimento do magistrado é que a Administração Pública não pode suspender prazo de validade de concurso, conforme previsto na Constituição Federal.

Consta nos autos, que a candidata participou do certame pelo Edital nº 1, de 24 de abril de 2015, sendo aprovada em quinto lugar para o cargo de Agente do Serviço de Trânsito, com área de atuação em Fiscalização de Trânsito no município de Rondonópolis.

De acordo com o mandado de segurança impetrado pela candidata, o concurso foi homologado em setembro de 2017, sendo prorrogado por dois anos, ou seja, até setembro de 2019. Todavia, ela não foi nomeada até o momento. Além disso, no dia 29 de julho de 2019, foi publicado Edital de Suspensão de prazo de validade do concurso público, sob justificativa de que o Estado estaria passando por dificuldades financeiras.

O advogado de defesa argumentou que “o DETRAN/MT é uma autarquia, ele ‘vive’ daquilo que ele próprio arrecada, tendo autonomia funcional e financeira própria.”

Logo, “não poderia e nem poderá o Estado retirar verba do DETRAN/MT para aplicar em saúde e educação, ou vice-versa”.

Ao analisar o caso, o desembargador pontuou que a nomeação de candidato aprovado, dentro do prazo de validade, é ato discricionário da Administração Pública. No entanto, quando transcorrido esse prazo, a nomeação deve ser feita obrigatoriamente.

“Dentro do prazo de validade do concurso, a Administração poderá escolher o momento no qual se realizará a nomeação, mas não poderá dispor sobre a própria nomeação, a qual, de acordo com o edital, passa a constituir um direito do concursando aprovado e, dessa forma, um dever imposto ao poder público”, destacou Luiz Carlos, ao mencionar jurisprudência do ministro Gilmar Mendes.

Por fim, o desembargador determinou a nomeação da candidata aprovada.

“Defiro a liminar para determinar que o Governador do Estado de Mato Grosso nomeie a impetrante no prazo de dez (10) dias”, decidiu.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet