Cuiabá, quinta-feira, 14/11/2019
03:23:50
informe o texto

Notícias / Política

05/11/2019 às 14:40

Em meio a lágrimas, Adevair se diz inocente e sofre perseguição

Ao fazer uso da tribuna, o tucano alegou que está sofrendo uma perseguição política e que vai provar a sua inocência

Luana Valentim

Em meio a lágrimas, Adevair se diz inocente e sofre perseguição

Foto: Divulgação

O vereador Adevair Cabral (PSDB) se defendeu em meio a lágrimas, nesta terça-feira (05), das acusações que pesam contra ele por favorecimento da prostituição, e outra forma de exploração sexual de vulnerável e abuso sexual contra uma ex-servidora da Secretaria de Saúde e a esposa do seu ex-cabo eleitoral.

Saiba Mais: Surge nova vítima de Adevair Cabral por assédio sexual

Na semana passada, o nome de Adevair foi vinculado a uma investigação da Polícia Civil por favorecimento da prostituição, e outra forma de exploração sexual de vulnerável. Ao fazer uso da tribuna, o tucano alegou que está sofrendo uma perseguição política e que vai provar a sua inocência.

“Estou sendo vítima de uma perseguição política, não sei de onde que é, mas é uma perseguição muito grande. Estou no meu terceiro mandato de vereador e tenho serviços prestados na sociedade, não sou corrupto e como nada desabona a minha conduta como parlamentar, estão expondo de maneira covarde e mentirosa a minha vida pessoal”, disse em meio a lágrimas.

O parlamentar destacou que deixou a presidência da Associação dos Servidores Públicos (ASP) em 2016, ressaltando que a denúncia anônima feita ao Ministério Público foi em 2017. E ainda mostrou um documento protocolado em cartório que comprova sua afirmação. Explicando ainda que o local está arrendado para terceiros desde 2013, que possuem permissão para alugar para se fazer festividades.

Quanto a denúncia de assédio, Adevair desafiou a ex-servidora a mostrar a conversa completa, afirmando que foi editada para fazer os prints. Pontuando que não a assediou, sugerindo a quebra de sigilo do seu telefone.

“O que estão fazendo comigo é uma covardia. Até ontem não existia nenhuma representação contra mim. Fico me perguntando, se a pessoa se sentiu constrangida, não gostou, por que não fez um b.o. contra mim na época e só agora fizeram tudo isso comigo?”, questionou.

Adevair disse que não irá representar o vereador Abílio Brunini (PSC) junto a Câmara Municipal, mas criminalmente.
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet