Cuiabá, domingo, 08/12/2019
04:18:28
informe o texto

Notícias / Polícia

10/11/2019 às 18:08

Professora xinga aluna de preta e dá 'pisão' em garoto; caso foi parar na polícia

O Leiagora falou com uma aluna da mesma sala das vítimas que nos contou como a situação ocorreu.

Alline Marques

Professora xinga aluna de preta e dá 'pisão' em garoto; caso foi parar na polícia

Foto: Junior Silgueiro

Uma aluna de 12 anos e o primo sofreram agressões verbais e físicas de uma professora de 45 anos, identificada apenas pelas iniciais A.P.M.L.D.A.. O caso ocorreu na Escola Estadual Antônio Epaminondas no bairro Lixeira, em Cuiabá, na quinta-feira (7.11). O caso foi parar na polícia e a professora foi acusada de racismo e deve responder por injúria, além de lesão corporal contra o menor.
 
Uma aluna que estuda na mesma sala que as vítimas relatou ao Leiagora que a professora já vinha tendo atitudes não condizente com o cargo ocupado e havia inclusive ameaçado bater na garota e “vive dizendo que a odeia”. A menina foi  classificada pela colega de classe como “um pouco bagunceira”. No dia do caso, ela conta que alguém bateu no quadro e a professora disparou: “isso é coisa de preto querendo se aparecer. Quer se aparecer? Pinta sua cara e suba no poste”.
 
No momento da confusão, outro menino entrou na briga. Ele é primo da garota que foi descriminada pela professora. Já irritada com a situação, a profissional da Educação puxou o rapaz pelo braço e lhe deu um ‘pisão’.
 
A aluna então ligou para a mãe chorando e a polícia acabou sendo acionada. De acordo com informações da PM, a estudante teria tentado chamar o diretor, mas a servidora a impediu ameaçando bater na garota.

Em entrevista ao Leiagora, a colega de classe contou que o diretor não quis auxiliar e preferia abafar o caso, mas sem sucesso, já que as duas mães resolveram representar criminalmente contra a professora. A Polícia Civil investiga o caso.

A versão da professora é de que os alunos estavam agitados e precisou agir de maneira ‘enérgica’, e negou ter dito algo ofensivo à raça da aluna, que foi acusada pela servidora de ser indisciplinada, já tendo a direção da escola dado advertência à jovem. O diretor teria dado respaldo à versão da profissional.
 
Outro lado


Em nota a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) disse que repudia qualquer ação discriminatória e que aguarda informações completas sobre o ocorrido para analisar quais medidas serão tomadas.

Veja nota na íntegra: 
Em relação ao caso envolvendo uma aluna e uma professora numa escola da Capital, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informa que:

Foi comunicada do caso e está buscando informações sobre o ocorrido junto à unidade escolar e às autoridades policiais para posteriormente avaliar quais medidas serão tomadas.

A Seduc deixa claro o posicionamento de que repudia e não admite qualquer prática discriminatória no âmbito da Rede Estadual de Ensino.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet