Cuiabá, quinta-feira, 02/04/2020
02:10:07
informe o texto

Notícias / Política

19/02/2020 às 17:09

Depois de dizer que colocaram nome na 'boca do sapo', prefeito diz que comentário foi infeliz

A declaração de Emanuel foi para negar a informação de que a contratação do crédito teria sido cancelada

Camilla Zeni

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), reconheceu que fez um comentário "infeliz" na manhã desta quarta-feira (19), quando disse que um vereador foi visto "fazendo macumba". 

Segundo Emanuel, o parlamentar teria amarrado seu nome "na boca do sapo" para que um empréstimo que ele pleiteia, de R$ 500 milhões, não acontecesse.

"Eu vejo tanta gente torcendo para dar errado e eu só entregando obra. Está com a cabeça onde esse vereador? Ele está louco para acontecer isso [cancelamento do empréstimo], está rezando. Eu soube até que ele foi visto em um centro de macumba, fazendo macumba. Viram e eu pedi até para terem fotografado. Amarrando o meu nome na boca de um sapo para que esse empréstimo não acontecesse. Eu tenho testemunha disso, mas não vou envolver a pessoa", comentou o prefeito, pela manhã. 

A declaração de Emanuel foi para negar a informação de que a contratação do crédito teria sido cancelada - declaração, aliás, que foi feita pelo próprio secretário de Planejamento, Zito Adrien.

Emanuel, porém, disse que a Prefeitura divulgaria uma nota para desmentir a informação e afirmou que as negociações continuam. "Esse é o maior legado que eu quero deixar para a população cuiabana", comentou.

Em nota enviada à imprensa, o prefeito reconheceu que o comentário sobre a macumba foi infeliz. Disse ainda que respeita todas as religiões e que apenas comentou o que ouviu dizer. Confira a nota na íntegra ao final da matéria.

Empréstimo dolarizado

O empréstimo citado pelo prefeito é considerado polêmico devido ao valor vultuoso contratado em dólares (U$ 115 milhões). A ideia inicial era de que ele fosse aprovado para as obras de 300 anos da Capital - celebrado em abril de 2019.

De acordo com o prefeito, o montante deve ser adiquirido com a Corporação Andina de Fomento (CAF), mas, para isso, enfrenta um longo e burocrático caminho. 

Ele também destacou que o valor anunciado é o momante máximo que poderá ser utilizado, mas que o empréstimo ainda não foi feito.

"A consulta prévia foi aprovada, não quer dizer que o empréstimo foi aprovado. É um longo caminho porque é rigoroso, todas as etapas estão sendo cumpridas", afirmou.

Abaixo, confira a nota oficial da prefeitura:

A respeito da entrevista concedida na manhã deste dia 19/02 sobre uma possível “macumba”. O prefeito Emanuel Pinheiro esclarece que:
- Foi infeliz ao fazer esse comentário;
- Reforça que respeita todas as religiões e que ao falar a palavra “macumba” na forma figurativa, não afirmou em se tratar de nenhuma religião específica, e sim de uma possível intenção de prejudicar a gestão. Até porque, como é de conhecimento geral, a chamada “macumba” não possui vínculo com nenhuma religião;
- Por fim, afirma que comentou algo que vieram lhe relatar, mas que em nenhum momento isso passou a ser relevante dentro da meta de fazer de Cuiabá uma capital mais humanizada e com qualidade de vida para a população.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet