Cuiabá, segunda-feira, 30/03/2020
06:30:49
informe o texto

Notícias / Agro e Economia

24/03/2020 às 17:58

Novas medidas deverão evitar falências de empresas e demissões em massa

Os empresários devem ficar atentos as novas regras para se preparar para este momento.

Leiagora

Novas medidas deverão evitar falências de empresas e demissões em massa

Antônio Frange Júnior

Foto: Assessoria

Empresas de todos os portes poderão contar com algumas medidas anunciadas pelo governo federal para evitar o fechamento e demissões em massa. Linhas de crédito especiais, suspensão temporária do pagamento de encargos e impostos e o adiantamento do 13º salário de aposentados e pensionista para movimentar a economia local.

Especialistas avaliam que as medidas são imprescindíveis para amenizar uma crise financeira sem precedentes e que deverá atingir todo o mundo em decorrência da pandemia do novo coronavírus. O advogado Antônio Frange Júnior, especialista em recuperação judicial e direito empresarial, explica que os empresários devem ficar atentos as novas regras para se preparar para este momento.

“Para cada perfil empresarial haverá um conjunto de medidas próprio. A última medida provisória anunciada no domingo (22) autoriza novas modalidades de vínculo, como teletrabalho. Os empregadores e empregados precisam conhecer essas alterações para evitar passivos legais”, explica Frange.

Entre as medidas anunciadas, o governo suspendeu por três meses o prazo para empresas pagarem o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) por meio Resolução CGSN 152. Também foi liberado mais de R$ 5 bilhões de crédito para as micro e pequenas empresas que serão concedidos por meio dos bancos públicos.
Haverá também redução de 50%, por três meses, da contribuição ao Sistema S e a antecipação do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS para o mês de maio. 

Outra iniciativa foi facilitar as negociações entre os bancos e os credores isentando as instituições financeira de aumentarem o caixa para isso.

“Algumas medidas ainda deverão ser anunciadas, conforme o governo for redimensionando o real impacto desta pandemia na economia. Esse é o momento de setor público e privados sentarem juntos para encontrarem o melhor caminho”, pondera o advogado Antônio Frange.

Recursos Jurídicos – Para o advogado Antônio Frange Júnior, será inevitável que empresários recorram ao Poder Judiciário para evitar a falência de seus negócios. “Nos próximos meses haverá um crescimento no número de pedidos de recuperação judicial para que as empresas consigam negociar seus passivos com deságio e maior prazo. A Justiça será um aliado do setor privado para garantir renda e empregos”, explica Frange.

 
Da Assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet