Cuiabá, quarta-feira, 02/12/2020
02:00:16
informe o texto

Notícias / Política

06/04/2020 às 15:18

Dr. Leonardo propõe mudança em MP de Bolsonaro para beneficiar setor rural

O parlamentar justifica que a medida, se mantida, irá prejudicar de forma drástica o trabalho da instituição em apoiar o produtor

Leiagora

Dr. Leonardo propõe  mudança em MP de Bolsonaro para beneficiar setor rural

Foto: Assessoria

Uma emenda apresentada pelo deputado federal Dr. Leonardo (Solidariedade-MT) quer suprimir dispositivo da Medida Provisória 932, do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que prejudica o trabalho do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

O parlamentar justifica que a medida, se mantida, irá prejudicar de forma drástica o trabalho da instituição em apoiar o produtor para produzir, escoar a produção e comercializá-la para garantir o abastecimento das cidades.

A MP, proposta dentro do pacote emergencial de ações para atenuar os impactos da pandemia do novo coronavírus na economia do país, altera as alíquotas de contribuição aos serviços sociais autônomos. A emenda do deputado Dr. Leonardo tem o objetivo de suprimir a redução das contribuições que são recolhidas para o Senar.

“Sou totalmente favorável às medidas para socorrer nossa economia. No entanto, ao reduzir 50% das contribuições a que o Senar faria jus, a medida prejudica de forma drástica o trabalho da instituição em apoiar todo o setor rural e o agronegócio. Ressalta-se que este é um setor estratégico para o país e que fornece produtos essenciais à população e que a diminuição do orçamento durante a pandemia não poderá ser feita sem que haja suspensão dos serviços prestados”, justificou Dr. Leonardo.

O Senar já anunciou que, com esse corte, terá que suspender as atividades, encerrar as matrículas em as ações de educação, parar a capacitação de técnicos e tomar outras medidas para avaliar os impactos.

“O que precisamos é fazer os ajustes necessários para manter o atendimento e a oferta de cursos e capacitações aos produtores e trabalhadores rurais”, finalizou Dr. Leonardo.

TRAMITAÇÃO - Uma medida provisória, assim que assinada pelo presidente, passa a valer como lei. Em no máximo 120 dias, precisa ser aprovada pelo Congresso, senão perde a validade.

 
Da Assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet