Cuiabá, sexta-feira, 03/07/2020
22:44:00
informe o texto

Notícias / Política

03/05/2020 às 10:30

Após pedido, senador apresenta emenda ao Plano Mansueto

Senador apresentou emenda para que os servidores de Segurança Pública e Saúde não sejam atingidos pelas medidas restritivas do PLP 149

Leiagora

Após pedido, senador apresenta emenda ao Plano Mansueto

Foto: Assessoria

O senador Wellington Fagundes (PL) apresentou uma emenda ao Projeto de Lei Complementar (PLP) nº 149/19, conhecido como “Plano Mansueto”, para que os servidores de carreira das áreas de Segurança Pública e Saúde, que estão na linha de frente ao combate à Covid-19, não sejam atingidos pelos efeitos do Plano Mansueto. 

A proposta foi apresentada pelo senador na última quinta-feira (30), após solicitação do deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) e dos presidentes do Sindicato dos Delegados de Polícia de Mato Grosso (Sindepo-MT), delegada Maria Alice Barros, da Associação Mato-grossense dos Delegados de Polícia (Amdepol), José Lindomar Costa. Na segunda-feira (27), o Delegado Claudinei, juntamente com a delegada Maria Alice se reuniram com Fagundes.  

O Plano Mansueto trata do socorro da União aos Estados e Municípios e prevê congelamento de salário de servidores e outras medidas restritivas ao funcionalismo público. “Ficamos muito felizes com o entendimento do senador ao apresentar essa emenda. Os profissionais da Segurança Pública e Saúde não podem parar neste momento em que enfrentamos essa pandemia e estão colocando suas próprias vidas em riscos, assim como a de seus familiares”, afirmou o Delegado Claudinei, que também encaminhou ofício com o pedido de apoio a essa demanda aos senadores mato-grossenses Carlos Fávaro (PSD) e Jayme Campos (DEM), com quem também se reuniu na última quinta-feira (30), juntamente com o presidente da Amdepol, José Lindomar Costa. 

EMENDA - O PLP 149 já foi aprovado na Câmara dos Deputados e agora se encontra no Senado Federal. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, apresentou nesta quinta-feira (30) um texto alternativo à proposta.  que deverá ser votado em uma sessão remota convocada na tarde deste sábado (2). 

A emenda apresentada por Fagundes acrescenta ao artigo 3º do PLP 149 o parágrafo 5º em que “Não ficarão sujeitas a vedações de aumentos de gastos com pessoal, durante o período de que trata o Decreto Legislativo nº 6 de 2020, as acarreias de servidores das áreas de Saúde e Segurança Pública”. Na justificativa da emenda proposta, Fagundes afirma que o controle das despesas com pessoal é um dos elementos centrais na busca do equilíbrio fiscal, situação mais relevante ainda na crise financeira ocasionada pelo coronavírus.

Porém, o senador destaca que esse princípio não pode se sobrepor a outra maior e que estabelece a justiça remuneratória relativa às carreiras de servidores que, em meio ao caos e aos perigos criados pela pandemia. 

“Esses profissionais enfrentam elevados riscos pessoais para cumprir seu dever e proteger a sociedade dos efeitos da Covid-19, submetendo-se à possibilidade de contágio, adoecimento e, possivelmente, à morte. Trata-se das carreiras de profissionais vinculados às áreas de Saúde e Segurança Pública, sem os quais o combate à pandemia seria impossível e que merecem o mais elevado reconhecimento por parte da população brasileira”, justifica o senador.

Uma nota técnica divulgada pelo Ministério da Saúde no início do mês de abril estimou que a quantidade de profissionais das áreas de Segurança Pública e Saúde e familiares destes com possibilidade de infecção pelo novo coronavírus possa ultrapassar 2 milhões de pessoas no Brasil.

 
Da assessoria

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet