Cuiabá, sábado, 04/07/2020
05:29:49
informe o texto

Notícias / Política

16/05/2020 às 08:12

Projeto propõe transparência dos gastos no combate a Covid-19

​O projeto, que altera a Lei de Acesso à Informação (LAI), retira a classificação sigilosa dos dados referentes a valores destinados ao combate ao coronavírus

Leiagora

Projeto propõe transparência dos gastos no combate a Covid-19

Foto: Vinícius Loures/Câmara dos Deputados

O deputado federal José Medeiros (Podemos) apresentou um Projeto de Lei (PL 2543/2020), no início desta semana, que visa dar total transparência aos gastos públicos realizados durante o combate às pandemias, como a Covid-19.

O projeto, que altera a Lei de Acesso à Informação (LAI), retira a classificação sigilosa dos dados referentes a valores e destinação de recursos públicos aplicados no enfrentamento de pandemias pelo governo federal, estadual e municipal.

“O coronavírus, pandemia que afeta diretamente a vida de todos nós, foi inspiração para o presente projeto, visto que, em nome do combate ao vírus muitos gastos são feitos de forma sigilosa, a arrepio do conhecimento popular”, justifica José Medeiros.

Em seu projeto, o parlamentar argumenta que na Lei de Acesso a Informação não existe nenhum permissivo para que se possa classificar como reservados, secretos ou ultrassecretos os valores e a destinação dos recursos públicos gastos no enfrentamento de pandemias, como o coronavírus, doença que levou o Brasil ao estado de calamidade pública.

O parlamentar ressalta que apesar de os dados estarem sendo divulgados, a medida visa impedir que algum dado venha com a classificação “sigilosas”, além de servir de base para que se proíba que estados superfaturem contratações em nome do combate à pandemias. "E o fazemos por entender que a supremacia do interesse público deve ser a tônica no trato das questões atinentes ao combate de pandemias. A transparência ativa e a passiva devem ser máximas nesse caso”, frisa Medeiros.

O deputado federal destaca ainda que o período da pandemia de Covid-19 não pode se transformar em mais uma Copa do Mundo para o Brasil. “Na Copa de 2014, o país teve prejuízos incalculáveis. Cito como exemplo o que aconteceu em Cuiabá, que sofre até hoje com os resquícios dos escândalos de corrupção. Por isso, este projeto busca fazer com que as coisas possam transcorrer de forma diferente, com mais transparência e eficiência”, finaliza Medeiros.

 
Da Assessoria 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet