Cuiabá, terça-feira, 02/06/2020
16:35:34
informe o texto

Notícias / Política

19/05/2020 às 16:18

Estados firmam acordo sobre a Lei Kandir e MT fica com R$ 1,2 bilhão

O acordo com a União ainda precisa ser homologado pelo STF; valores devem ser repassados até 2037

Camilla Zeni

Estados firmam acordo sobre a Lei Kandir e MT fica com R$ 1,2 bilhão

Foto: Marcos Vergueiro/Secom

A União e os Estados fecharam acordo no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre as compensações de perdas previstas com a Lei Kandir. Segundo o texto, assinado pelos 27 governadores, a União terá que repassar R$ 65,6 bilhões aos estados. Desses, R$ 1,2 bilhão é destinado a Mato Grosso já em 2020.

Segundo o acordo firmado no STF, R$ 58 bilhões devem ser repassados pelo governo federal entre 2020 e 2037. Ainda, oR$ 3 bilhões devem ser pagos em até três anos após a aprovação do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) do Pacto Federativo, no Congresso Nacional. Outros R$ 4 bilhões devem ser pagos com a venda dos blocos Atapu e Sépia, na Bacia de Santos. No entanto, se eles não forem leiloados, o governo federal não vai precisar repassar o valor. 

Dos R$ 58 milhões, metade obedece coeficientes fixos de participação para divisão dos valores aos estados. Nesse caso MT tem direito a 1,94% do valor, ou equivalente a R$ 562,6 mil.

Já a outra metade dos R$ 58 milhões vai considerar as perdas estaduais relacionadas ao Auxílio de Fomento às Exportações (FEX). Nesse quesito a porcentagem de Mato Grosso é de cerca de 20% do valor, o equivalente a R$ 5,8 bilhões.

Ao todo, portanto, Mato Grosso deve receber R$ 6,3 bilhões até 2037, dos quais R$ 1,2 bilhão deve ser enviado até o fim de 2020. 

O acordo prevê ainda, porém, que todo o dinheiro deve ser dividido, ficando 75% para estados e 25% para municípios. 

Leia também - MT tenta fechar acordo no STF nesta semana para liberação do FEX

Conforme explicou ao Leiagora, em entrevista passada, o secretário de Fazenda de Mato Grosso, Rogério Gallo, os Estados dependiam de cinco assinaturas para conseguir firmar o acordo. Agora, com a adesão de todos os governadores, o texto do acordo deve ser encaminhado pelo ministro Gilmar Mendes para homologação no plenário do STF.

Depois de homologado o documento, a União vai ter até 60 dias para encaminhar um projeto de lei complementar que trate desse repasse temporário dos valores. Em paralelo ainda tramita no Congresso a PEC do Pacto Federativo.

Atualmente Mato Grosso está três anos sem receber a compensação pelas perdas de arrecadação. Ao todo, estima-se que a dívida da União já esteja em torno de R$ 1,5 bilhão. Esse valor já foi cobrado pelo governador Mauro Mendes (DEM), em reunião com o ministro da Economia Paulo Guedes e o presidente Jair Bolsonaro.

Na reunião, que aconteceu de forma virtual no mês de março, Mauro explicou que a proposta do governo federal, de fazer a recomposição do Fundo de Participação dos Estados (FPE), tem pouco valor para Mato Grosso, porque cerca de 70% da arrecadação do estado vem do ICMS. Em Mato Grosso o FPE equivale a 11% da receita.

Lei Kandir
A Lei Kandir foi aprovada em 1996 e desonera de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) os produtos destinados à exportação. Para compensar a falta de arrecadação, a lei determina que a União compense os Estados pelas perdas. No entanto, desde 2004 a compensação passou a ser negociada ano a ano, o que gerou diversas ações judiciais. 

Atualizada às 10h de 20/05
Errata: inicialmente o texto não explicava que R$ 1,2 bilhão seria enviado ao Estado apenas em 2020.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet