Cuiabá, sexta-feira, 10/07/2020
22:36:05
informe o texto

Notícias / Geral

25/05/2020 às 10:30

Mineradora de MT confirma mais 32 casos de covid-19 após morte de funcionário

Na Nexa, localizada em Aripuanã, um funcionário de 34 anos já morreu em razão da infecção

Camilla Zeni

Mineradora de MT confirma mais 32 casos de covid-19 após morte de funcionário

Foto: Yves Herman/Agência Brasil

Testes rápidos aplicados em funcionários da mineradora Nexa, localizada nas proximidades de Aripuanã (950 km de Cuiabá), identificaram mais 32 casos de infecção pelo novo coronavírus no último sábado (23). A informação foi confirmada pela gerência do próprio empreendimento, por meio de nota. 

Os exames foram feitos nos funcionários como parte de um acordo firmado com o Ministério do Trabalho em abril. Na época a mineradora teve as atividades suspensas em razão de ter um caso confirmado da doença e se comprometeu a acompanhar o estado de saúde dos profissionais.

Conforme a Nexa, nenhum dos funcionários testados positivos nesse fim de semana apresentou sintomas. Ainda assim, por terem sido diagnosticados com a doença, eles foram colocados em isolamento em um hotel separado dos demais trabalhadores, e devem repetir os testes nos próximos dias.

Leia tambémNovo sistema deve atualizar em tempo real casos de Covid-19 em MT

Em nota, a empresa garantiu que tem testado periodicamente todos os trabalhadores, com objetivo de evitar contágio aos moradores locais e aos próprios funcionários. Na mina, que é a maior planta de mineração do Estado, são cerca de 1,5 mil trabalhadores. 

Morte na mina

No dia 11 de abril, um funcionário da Nexa morreu em razão de complicações pelo novo coronavírus. Com 34 anos, o homem apresentou insuficiência respiratória e pneumonia grave. Ele não tinha outras comorbidades e não era do grupo de risco.

Segundo informações da Secretaria de Saúde na época, o mineiro estava internado no Hospital Regional de Sinop (500 km da capital), desde o dia 6 de abril, com insuficiência respiratória por causa de uma pneumonia grave.

Depois da morte, a mina teve as atividades suspensas. Dois dias depois, as construtoras responsáveis pelo local, Andrade Gutierrez, Votorantim e Construcap, fecharam acordo trabalhista e se comprometeram a seguir os protocolos de enfrentamento ao vírus, determinados pelos governos federal e estadual. 

Entre os acordos firmados estão a distribuição de 10 mil litros de álcool 70% para os funcionários, e a intensificação da fiscalização nos alojamentos dos mineiros, que deverão ser separados em, no máximo, quatro pessoas por quarto, além de promover a limpeza nessas dependências.

Assim que possível, as empresas devem garantir que as camas fiquem em uma distância mínima de 1,5 metros. Além disso, essa distância deve ser mantida no transporte dos funcionários do alojamento até a mina. 

Os mineiros que tiveram confirmada a infecção pelo vírus deverão ser isolados em um quarto com banheiro, da mesma forma que aqueles que chegarem de outros estados deverão obedecer quarentena de 14 dias até entrar em áreas comuns com os demais trabalhadores.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet