Cuiabá, sábado, 04/07/2020
22:48:31
informe o texto

Notícias / Política

02/06/2020 às 15:20

DEM aposta em adiamento do pleito municipal e Mauro proíbe saída de secretários

Conforme o calendário da Justiça eleitoral, o prazo final para desincompatibilização para aqueles que pretender concorrer a cargos no Executivo no pleito de outubro é esta quinta-feira, dia 04.

Kamila Arruda

DEM aposta em adiamento do pleito municipal e Mauro proíbe saída de secretários

Foto: Câmara dos Deputados

O Democratas de Mato Grosso (DEM) trabalha com a possibilidade de a eleição não ocorrer em outubro deste ano por conta da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). Diante disso, nenhum correligionário democrata, integrante do primeiro escalão estadual, irá se desincompatibilizar do cargo.

Conforme o calendário da Justiça eleitoral, o prazo final para desincompatibilização para aqueles que pretender concorrer a cargos no Executivo no pleito de outubro é esta quinta-feira (4).

“Não temos condições de realizar eleição neste ano em meio a esta pandemia. Isso já está claro, é inviável. Então, surgirão novos prazos assim que a nova data da eleição for definida. Isso já está praticamente pacificado no Supremo Tribunal”, pontuou Fabio Garcia, presidente estadual do DEM.

Diante disso, Garcia afirma que o governador Mauro Mendes (DEM) permanecerá focado no combate à Covid-19, juntamente com os secretários. “A decisão do governador Mauro Mendes é acertada. Não tem condições de ninguém sair neste momento, e eleição não está entre as prioridades do governador, ele não quer transformar esse momento de pandemia em palanque eleitoral", alegou.

Para o ex-deputado, que também é um dos nomes cotado para a Prefeitura de Cuiabá, não haverá eleição este ano e o partido deve discutir o assunto, somente quando houve uma data definida. 

Além de Garcia, também estão cotados para disputar a prefeitura de Cuiabá os secretários de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, da Casa Civil, Mauro Carvalho, e o de Fazenda, Rogério Gallo.

O adiamento da eleição por conta da pandemia vem sendo discutido pelos parlamentares no Congresso Nacional, e também no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ate o momento, discute-se o adiamento para dezembro e a Justiça Eleitoral não tem se mostrado favorável à prorrogação do mandato e unificação das eleições. 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet