Cuiabá, terça-feira, 11/08/2020
17:40:42
informe o texto

Notícias / Polícia

17/06/2020 às 07:04

Conselheiros afastados e sede do TCE são alvos da 16ª fase da Operação Ararath

Os mandados estão sendo cumpridos por decisões expedidas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Luzia Araújo e Camilla Zeni

Conselheiros afastados e sede do TCE são alvos da 16ª fase da Operação Ararath

Foto: Reprodução

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (17), a 16ª fase da Operação Ararath. Entre os alvos da ação estão os conselheiros afastados do Tribunal de Contas do Estado, José Carlos Novelli e Waldir Teis.

Conforme a reportagem apurou, a Polícia Federal esteve cumprindo mandados de buscas e apreensão em propriedades dos dois conselheiros. Além disso, a sede do Tribunal de Contas também foi alvo. 

No TCE, a PF esteve na Secretaria de Administração e requisitou documentos das gestões de 2012 a 2015. Entre 2012 e 2013, presidiu a Corte de Contas o conselheiro José Carlos Novelli. Já no biênio de 2104 e 2015 foi Waldir Teis quem assumiu a presidência da Casa.

Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e, até o momento, não há informações sobre outros alvos. A decisão segue sob sigilo, segundo a PF.

Esquemas de corrupção
Tanto Novelli quanto Waldir Teis também foram alvos de outra fase das investigações. Trata-se da Operação Malebolge, a 12ª fase da Operação Ararath, deflagrada em setembro de 2017.

Na época, os conselheiros, além de Sérgio Ricardo, Antônio Joaquim e Valter Albano, foram afastados judicialmente do TCE, acusados de corrupção.

Segundo delatou o ex-governador Silval Barbosa, os conselheiros cobravam propina para aprovarem as contas de governo e para não impedirem o andamento das obras da Copa do Mundo de 2014. Silval revelou que teria desembolsado R$ 53 milhões com esses pagamentos ilegais.

Operação Ararath

Deflagrada em dezembro de 2013, a Operação Ararath visava apurar esquema de lavagem de dinheiro e desvio de recursos em Mato Grosso, por meio de empresas e factorings.

Ao longo dos anos ela teve 15 fases, sendo que a última aconteceu em dezembro de 2017. Conforme o último balanço do Ministério Público Federal, foram 275 mandados de buscas e apreensão, mais de 30 ações penais e três condenações, sendo que, em todas, entre os condenados estava o ex-secretário de Estado de Fazenda, Éder Moraes.

Atualizada às 8h25 e 9h40

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet