Cuiabá, quarta-feira, 12/08/2020
02:27:48
informe o texto

Notícias / Política

22/06/2020 às 10:50

Secretário critica falta de penalização a quem não cumpre toque de recolher mas descarta lockdown

A tendência é que as cidades antecipem o início do toque de recolher.

Kamila Arruda

Secretário critica falta de penalização a quem não cumpre toque de recolher mas descarta lockdown

Foto: Reprodução

Responsável pela Secretaria de Ordem Pública de Cuiabá, o secretário Leovaldo Salles criticou a falta de penalização ao cidadão que vem descumprindo o toque de recolher. No entanto, ele não acredita que o “lokdown” seja uma saída para o município.

O gestor afirmou que, durante a primeira semana do toque de recolher, a sua equipe registrou 117 denúncias de aglomerações. De acordo com ele, a principal dificuldade é com jovens e adolescentes.

“A gente tem conhecimento de que, por falta de consciência das pessoas, algumas situações têm escapado a nossa fiscalização. Estamos tendo muita dificuldade com jovens e adolescente. Esse pessoal está no limite, não suporta mais ficar em casa. Então, qualquer alternativa fora, ele tentar correr o risco de progredir”, pontuou.

Diante disso, o secretário acredita que a situação mais delicada seja a falta de um instrumento de penalização para esses moradores que descumprem as normas impostas.

“Se você pega um camarada, por exemplo, em um agrupamento sem máscara, você não tem outra alternativa a não ser orientar. Não dá pra penalizar pessoa física. É uma coisa impressionante a falta de consciência do nosso povo, principalmente geração mais jovem”, reclamou o gestor.

O toque de recolher foi decretado pelo prefeito Emanuel Pinheiro (DMB) no último dia 10. Conforme o decreto nº 7956, ele é válido das 22h30 até as 5h e vai até o dia 28 de junho, podendo ser prorrogado.

Desta forma, “a pessoa que for encontrada fora desse contexto será devidamente orientada e havendo a explícita resistência ou desobediência poderá ser feita a condução do infrator à delegacia”, diz trecho do documento.

Na manhã desta segunda-feira (22), entretanto, uma reunião entre Pinheiro, a prefeita de Várzea Grande Lucimar Campos (DEM) e o governador Mauro Mendes (DEM) deve resultar no endurecimento das medidas restritivas devido ao aumento de casos do novo coronavírus (Covid-19) em ambos os municípios. A tendência é que as cidades antecipem o início do toque de recolher.

Para Salles, essa é a medida acertada. “Esse é o grande desafio, a classe empresarial, o pessoal que produz, que precisa de renda, está muito preocupada com a possibilidade do lockdown. Eu, particularmente, penso que seria desastroso para Cuiabá. Mas entre preservação da saúde e colocar em risco a vida de todos, porque a pessoa precisaria trabalhar, precisa produzir, eu penso que prefeito vai caminhar na direção sinalizada, e manter isolamento”, colocou. 

O secretário acredita que a implantação do lokdown seria uma medida muito dura. “Acredito que se nos anteciparmos 2 ou 3 horas nesse toque de recolher, as aglomerações período noturno vão melhorar quase 90%”, finalizou. 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet