Cuiabá, quarta-feira, 12/08/2020
02:37:59
informe o texto

Notícias / Política

22/06/2020 às 11:12

Emanuel propõe redução de ônibus e fechamento de bares para evitar lockdown - veja medidas

Prefeito de Cuiabá se reúne com Várzea Grande e Governo para discutir medidas de prevenção a covid-19

Camilla Zeni

Emanuel propõe redução de ônibus e fechamento de bares para evitar lockdown - veja medidas

Foto: Assessoria

Os prefeitos de Cuiabá e Várzea Grande e o governo do Estado estudam, na manhã desta segunda-feira (22), medidas para evitar a implantação do bloqueio total das atividades em Mato Grosso durante o período de pandemia do novo coronavírus.

Entre as propostas levadas pelo chefe da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB), estão a antecipação do toque de recolher para as 20 horas e a volta da redução da frota de ônibus em circulação para 30%, limitando-a para os trabalhadores dos serviços essenciais.

Atualmente o toque de recolher, implantado no dia 13 de junho, vai das 22h30 às 5h, restringindo a circulação da população. Na proposta de Pinheiro, porém, em se tratando de atividades econômicas, apenas as farmácias poderão ficar abertas durante a medida, sendo assim, os supermercados também terão que reduzir o horário de funcionamento.

Emanuel Pinheiro também antecipou para a imprensa que vai propor o fechamento de bares e a limitação dos restaurantes para funcionamento das 11h às 15h. O cenário também vai impactar nos shoppings, que terão que limitar o funcionamento para das 11h às 18 horas.

Para evitar a circulação de outra parcela da população, o prefeito de Cuiabá também quer que o governo volte a permitir que os servidores estaduais atuem de forma virtual, assim como ele deve decretar para os servidores municipais. 

O rodízio de veículos nas ruas é ainda uma das propostas que estão sendo analisadas pela Prefeitura de Cuiabá, e que devem ser discutidas com o governo e a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM). A gestora, que está com suspeita de covid-19, participa da reunião de forma virtual.

Em relação às medidas, Pinheiro destacou que todas são apenas sugestões, que ainda estão sendo levadas para a discussão desta manhã. Ele ainda lembrou que o Ministério Público do Estado chegou a pedir na Justiça o fechamento das atividades, o que também é recomendado pelo  governo.

"No lockdown para tudo, é muito pior. Se segurarmos isso e cada empresário ficar responsável para levar seu trabalhador, talvez seja a melhor medida, mas ainda vai ser discutido. Agora, o lockdown é muito pior, 10 vezes pior", defendeu o gestor.

A reunião desta segunda-feira é uma continuação da audiência de conciliação que começou na sexta-feira (19), após o pedido judicial do Ministério Público. Ela considera que Cuiabá e Várzea Grande são as cidades com maior número de moradores infectados e de casos fatais da covid-19.

Além disso, considera-se ainda a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva no Estado, que está contabilizada em 81%, conforme atualização do governo.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Em parceria com Engaje Sitevip Internet